Share
13 quadrinhos de Horror para conhecer

13 quadrinhos de Horror para conhecer

A maior dificuldade das histórias de quadrinhos que seguem para um rumo de suspense e terror, é que diferente dos filmes que conseguem criar uma tensão com som, imagem e sensações, o quadrinho precisa ter surpreender e te prender com algo completamente inofensivo, que é um pedaço de papel desenhado.
A seguir vamos acompanhar 13 (tem muito mais que isso, acredite) dicas de histórias de horror que conseguem de alguma forma, te deixar sem folego, e intrigado pelo mistério e dar graças que nada aquilo está acontecendo com você.

1 – Junji Ito – Fragmentos de Horror (Darkside)


Falar de quadrinhos de terror no mercado nacional e não citar a editora DarkSide, tornou-se um dos pecados capitais.

Na primeira leva de novidades que a editora trouxe o mais fora da curva do que estava sendo publicado por aqui foi o mangá Fragmentos do Horror que traz contos do mestre Junji Ito de te deixar incomodado e completamente absorto aquela loucura. Os contos seguem rumos que você precisa ter estômago para sair ileso após a leitura.

Se você tem coragem (e força de vontade) essa coletânea é obrigatória para quem gosta de terror e horror oriental.

2 — Diva Satânica — Bräo

 

Seguindo por uma linha de desenho inspirada (e confessa) por mestres como Dave Mckean e Bill Sienkiewicz, que trazem um desenho com base em aquarelas e pinturas, onde a “sujeira” faz parte da narrativa, o professor e quadrinista Bräo, nos apresenta uma publicação que explora o horror e o erotismo de igual maneira, onde uma entidade arrebata a mente e o coração de uma forma um tanto peculiar.

3 — Hellblazer  (Vertigo DC)

Dispensando apresentações, Hellblazer segue nos contando sobre a vida de John Constantine, um mago que tem sua vida amaldiçoada desde o início de sua imersão no mundo mistico. Um punk desgarrado, desgraçado e pouco se importando com o mundo, certa vez ao tentar invocar um demônio junto com um grupo de amigos, acabam trazendo uma criatura muito mais poderosa e sem controles, o que arrasta a vida de John e todos os outros para o abismo.

Hellblazer é marca registrada do selo Vertigo, e indispensável para qualquer fã de quadrinhos adultos, regado a misticismo e muito desgraçamento.

Seguindo pelo mundo de Hellblazer e do selo Vertigo, vá atrás de Monstro do Pantano, Sandman e Preacher também (todos acontecem no mesmo universo e são interligados em diversos momentos).

4 — Carniça — Rodrigo Ramos e Marcel Bartholo

Ainda mais difícil que trazer a atmosfera de horror e terror para os quadrinhos, é fazer isso com competência e em poucas páginas. No caso de Carniça, você é transportado para a miséria e para a mente de um homem que precisa responder pelos seus atos inesperados. Vá atrás também de Insubstituível, que além de curtinho também desenhado por Bartholo e seguindo a linha de horror.

5 — Lavagem — Shiko  (Editora Mino)

A maestria dos desenhos e da narrativa de Shiko, faz de Lavagem uma das melhores tramas de horror contemporâneo, onde a tensão é construída do começo ao fim e é tão densa, que você esquece de respirar… O tipo de história que te prende na cadeira no começo apenas para te fazer saltar dela com mais surpresa depois.

Isolados pela maré, um casal de criadores de porcos, ficam ilhados em sua própria casa todos os dias… porém, em certo momento recebem uma visita inesperada de um homem de deus e o abrigam sob seu teto e suas vidas se transformam completamente a partir dai.

6 — O Rei Amarelo (Editora Draco)

O Rei Amarelo são contos inspirados na mitologia criada por Robert W. Chambers e reunidas em uma linda edição pela Editora Draco, que segue a premissa de que se uma pessoa ler o Livro Amarelo, coisas sombrias e inexplicáveis começarão a te perseguir e te consumir.

Também chamada de Trilogia das cores, a Draco também seguiu lançando nos mesmos moldes de O Rei Amarelo: O Despertar de Cthulhu e Os Demônios de Goetia. Todos valem muito a leitura.

7 — Hellboy (Dark Horse)

Ele é um demônio. Só esse motivo que já é assustador… Talvez o que mais leve dessa lista, por motivos do estilo mais aventureiro e “super-herói” revisita vários seres sobrenaturais em suas histórias e o misticismo presente na série e muito bem desenvolvida. Com sagas mais densas e aterrorizantes, Hellboy é um personagem que deve fazer parte da coleção de todo fã do estilo que se preze. Salve Mike Mignola. Amém.

8 — O Diabo e Eu — Alcimar Frazão (Editora Mino)

Essa obra conta sobre a misteriosa e intrigante historia de Robert Johnson, um cantor de blues que é dado como quem fez um pacto com o demônio para fazer sucesso. Morrendo precocemente aos 27 anos, ele quem inicia a lenda trágica da morte de artistas ligados a música, que faleceram nessa mesma idade, que muitas vezes falece de modo questionável e intrigante.

9 — Violent Cases — Neil Gaiman, Dave Mckean (Editora Aleph)

A nossa memória não é um arquivo confiável. Quando não nos lembramos exatamente de um fato, nos simplesmente preenchemos as lacunas, inventando-os.

Violent Cases é exatamente isso. Um homem que revista sua infância, onde seu pai leva-o para o mesmo médico de um poderoso e conhecido mafioso e tudo que segue depois desse encontro. As lembranças de uma criança são confiáveis?

A primeira parceria entre os deuses Gaiman e Mckean, o suspense e a experiência de leitura dessa história é espetacular.

10— Castelo de Areia— Frederick Peeters

Em uma praia, coisas bizarras começam a acontecer. Pessoas vão chegando ao local porem ninguém consegue sair. Um corpo é encontrado, quem foi o culpado? O estrangeiro? Todos assim acham.

Mas, a coisa mais estranha é que todos ali estão envelhecendo muito, mas muito rápido e no final do dia é capaz que alguns cheguem no limite de sua existência. Ficou curioso? Castelo de Areia é do mesmo criador da sensível história de Pílulas Azuis.

11 — São Paulo dos Mortos — Daniel Esteves (Zapata Edições)

Como uma boa lista de quadrinhos de terror e horror, não poderia faltar um clássico e muito explorado gênero: Os Zumbis. Dessa vez, o quadrinho conta com sua ambientação na selva de pedra paulistana, colocando ambientações conhecidas e situações inesperadas. A Série já conta com 3 volumes, sendo que cada volume reúne algumas histórias curtas. É empolgante e suas abordagens dão um peso muito interessante para o tema.

12 — Dora – Bianca Pinheiro (Editora Mino)

Trabalho independente da autora que depois foi relançado pela Editora Mino, Dora é aquele tipo de história que bebe de fontes diretas de filmes do gênero como Carrie, a estranha… O quadrinho tenta fugir dos clássicos clichês dos contos de horror, e nos mostra a uma personagem Aterrorizante mesmo em toda a sua normalidade.

13 — Black Hole— Charles Burns (Darkside)

Uma doença que se espalha sexualmente entre os adolescentes, tem uma reação física diferente pra cada pessoa. Enquanto uns têm apenas algumas modificações na pele, outros podem virar aberrações literalmente. Os jovens infectados começam a viver em acampamentos afastados da civilização tentando conviver com a doença.

Um quadrinho denso e cheio de referências e paralelos a sociedade da época em que se passa a história (anos 70) que explora muitos temas sérios em paralelo ao horror sociológico, psicológico e físico.