Share
9 documentários sobre Jornalismo

9 documentários sobre Jornalismo

Hoje é o dia do Jornalista aqui no Brasil. Por isso decidi listar alguns documentários relevantes e que abordam alguns temas como guerra, vida pessoal, política e outros.

Alguns desses documentários estão disponíveis na Netflix e outros em serviços como HBO GO. Mas, a maioria é possível encontrar pela internet para alugar em outros serviços do gênero. Alguns estão completos aqui mesmo no post através do YouTube.

NOBODY SPEAK: TRIALS OF THE FREE PRESS

O que de início parecia mais um processo por difamação acabou se transformando em um ataque direto a liberdade de imprensa e que levanta questionamentos sobre privacidade, liberdade de expressão, monopólio midiático, etc. Tudo isso após o vazamento de uma fita sexual. Com uma personalidade que nem está tão em voga ultimamente, mas, que ainda assim, é uma figura pública.

Disponível na Netflix.

O HOMEM DO JORNAL: A VIDA DE BEN BRADLEE

Já ouviu falar dos papéis do Pentágono e do caso Watergate? Então é provável que esse nome não lhe seja assim tão estranho. O documentário narra a ascensão editorial de Ben Bradlee desde a época que trabalhava na Newsweek até virar o editor chefe do The Washington Post e com ele passar por anos turbulentos, em especial na era Nixon. É uma mistura de sua vida pessoal com a profissional e como inspirou diversas pessoas e continua até hoje.

Disponível na HBOGO. 

CONTROL ROOM

A famigerada guerra do Iraque. Sempre rende material e com esse documentário não é muito diferente. Trata da percepção dos americanos da guerra através do que a emissora Al Jazeera veicula.

DOCUMENTÁRIO COMPLETO

THE WAR YOU DON’T SEE

Adentramos de vez a política e esse documentário trata como a mídia consegue influenciar, quando não manipular a opinião do povo em relação a candidatos. Não apenas isso, como os deixa manipular fatos e apresenta-os como sendo verdade para a população.

DOCUMENTÁRIO COMPLETO

PAGE ONE: INSIDE THE NEW YORK TIMES

Com acesso irrestrito à redação do The New York Times, um dos jornais mais populares dos Estados Unidos, o documentários trata da revolução dentro do jornalismo e como que um jornal desse porte está tentando se adequar aos novos tempos.

DOCUMENTÁRIO COMPLETO

CITY OF GHOSTS

Esse documentário segue os esforços do “Raqqa Is Being Slaughtered Silently”, um grupo de ativistas anônimos que fugiram juntos depois que sua cidade foi tomada pelo ISIS em 2014. Com acesso interno ilimitado, essa é a história de uma bravo grupo de jornalistas cidadães que precisam enfrentar a realidade de viver disfarçados, fugir e ficar no exílio, arriscando as suas vidas para enfrentar uma das maiores ameaçadas nos dias de hoje.

DIRTY WARS

O jornalista investigativo Jeremy Scahill é levado a embarcar em uma jornada inesperada ao perseguir a verdade escondida por trás de operações secretas de guerra que eram responsáveis por capturar e matar pessoas. Esses agentes encarregados da missão não chegam a existir em papéis.

DOCUMENTÁRIO COMPLETO

BEST OF ENEMIES

Um documentário que apresenta uma série de debates em 1968 entre o liberal Gore Vidal e o conservador William F. Bucley, além de outros momentos da história.

Disponível na Netflix.

THE PROPAGANDA GAME

O cineasta Álvaro Longoria conseguiu permissão para filmar dentro da Coréia do Norte e tentou mostrar como é a realidade de um país que vive longe dos olhos da mídia. Chama atenção para uma manipulação midiática liderada pelo governo enquanto questiona sobre como os residentes enxergam o mundo longe desse regime.

Disponível na Netflix. 

UMA NOTA PESSOAL

A profissão é muito estigmatizada e no nosso país não poderia ser diferente. Em meio ao surgimento e propagação das fake news, mais e mais a posição do jornalista vem sendo contestada pelo público. O que é ótimo, mas até certo ponto. Como assim?

O público tem e precisa mesmo duvidar de tudo o que recebe como informação e buscar por si a verdade. Mas, a situação complica pois ela não é absoluta. Não existe imparcialidade dentro do jornalismo (ainda que isso seja um princípio o qual todos propagam). É preciso entender que todo e qualquer veículo possui uma linha editorial e encaminha suas notícias dentro do que consideram o correto para essa linha. Portanto, veículos como Globo, Estadão, Folha de São Paulo, Jornal do Brasil (recém voltado dos mortos) e Meia-Hora são bem diferentes um do outro. As vezes mais e as vezes menos. Cabe a nós ler e filtrar e não endemonizar a profissão.

A função do jornalista é informar os fatos e apresentar uma história. Alguns nem sempre fazem isso e é aí que a gente como público entra. Em especial numa leva enorme de fake news e onde toda e qualquer pessoa posta o que bem entender e a máxima: se está na internet é verdade.

Logo, se puder deixar um pedido é “pensem por vocês mesmos e questionem sempre”.