Share
“Adoráveis Mulheres” tem o coração de Greta Gerwig

“Adoráveis Mulheres” tem o coração de Greta Gerwig

O longa Adoráveis Mulheres é mais uma adaptação do popular livro de Louisa May Alcott. Porém, diferente da versão mais conhecida do público lançada em 1994, Greta Gerwig soube transpor a narrativa da autora de forma a torná-la mais contemporânea. Embora, seja uma trama situada em meados dos anos 1860.

A história gira em torno das mulheres da família March e como elas lidam com diferentes situações em meio a uma guerra civil que as separou do patriarca. Enquanto isso, coube a mãe, a quem chamam de Marmee (Laura Dern), lidar com a jornada dupla parental. Sob seus cuidados tem quatro meninas: Meg (Watson), Jo (Ronan), Amy (Pugh) e Beth (Scanlan). Cada qual com suas personalidades, sonhos e defeitos. No entanto, a narrativa segue a perspectiva de Jo, papel de Saiorse Ronan. Porém, diferente das outras adaptações, Gerwig optou por aproveitar mais da história original e construir suas Adoráveis Mulheres de outro jeito.

Adoráveis Mulheres

Uma modificação fundamental que a diretora e também roteirista fez foi apostar na alternância da narrativa. Ao invés de construir um roteiro linear, culminando num ponto específico, preferiu encaixar diversos flashbacks que se misturam entre passado e presente. Deste modo, possibilitou que todos os personagens, em especial as mulheres da família March, tivessem destaque necessário para conduzir a própria história. Apesar de Jo continuar na função de narradora, as outras três possuem tanta importância quanto ela. Na verdade, Amy parece se sobressair tanto quanto Jo dentro do enredo, talvez por ser o contraponto da irmã. A versão de Florence Pugh soube misturar a ingenuidade da personagem com um toque de elegância e maturidade que lhe faltou nas outras adaptações. Tal feito resulta em uma atuação cativante, que evolui de maneira fluída no decorrer de Adoráveis Mulheres.

Todavia, o maior feito de Greta Gerwig neste filme foi adaptar de maneira inteligente o discurso feminista da autora. Um elemento existente no livro, ainda que ele tenha sido lançado quase no final do século XIX. Ela aborda diversos pontos relevantes sobre o papel da mulher da época e a percepção da sociedade. As vezes o discurso parte das próprias protagonistas e em outros momentos vem da tia solteirona e rica vivida por Meryl Streep.

Adoráveis Mulheres

Longe de ser uma cópia exata do livro de Louisa May Alcott, Adoráveis Mulheres tem um diferencial que outras versões não possuem: o coração de Greta Gerwig. Isto fica claro desde o primeiro segundo. A assinatura da diretora e roteirista está nos mínimos detalhes do filme. Greta soube respeitar a sua visão da história, quanto a mensagem transmitida por Alcott e que ela ampliou e também a individualidade dos personagens. E é assim que surgem ótimas adaptações.

FICHA TÉCNICA
Direção: Greta Gerwig
Roteiro: Greta Gerwig 
Elenco: Saiorse Ronan, Emma Watson, Florence Pugh, Eliza Scanlen, Timothée Chalamet, Laura Dern, Meryl Streep, Tracy Letts, Bob Odenkirk, Chris Cooper, James Norton, Louis Garrel, Jayne Houdyshell, Mason Alban, Rafael Silva 
Duração: 2h14min 
Lançamento: 26 de dezembro (oficial)