Share
As cenas mais tristes em animações Disney

As cenas mais tristes em animações Disney

Com a Disney liberando um poster e teaser trailer do live-action de O Rei Leão, os fãs se perguntaram se estamos preparados para ver o Mufasa morrer de novo. E a resposta para isso é, alguma vez estivemos?

Alguns podem apontar que a Walt Disney Pictures costuma ser bem cruel em suas animações. Os protagonistas raramente possuem famílias completas, com pai e mãe. Ou são órfãos ou só possuem um dos pais. É possível contar na ponta dos dedos aqueles que vem de estrutura familiar inteira (como Moana, por exemplo) e é isso que acaba dando o tom para as animações. O que faz com que o espectador tenha pena do personagem e acabe torcendo para que ele seja feliz. Mas isso só não basta. Lá no meio da animação, ainda vai ter que sofrer um pouco mais, a fim de encontrar o caminho do final feliz. É sobre essas cenas dramáticas que trata a nossa lista.

Não estão em ordem de mais ou menos choradeira. Nem de impacto emotivo. Afinal, cada qual responde de uma maneira. Há aqueles que não choraram com a morte de Mufasa, por exemplo.

DUMBO

É uma das minhas animações favoritas. Tem muita gente que considera pesada. Mas, acho que enxergo uma beleza por trás que poucos veem também. Aquele momento que a Dona Jumbo é encarcerada e o Dumbo vai visitá-la é de partir o coração.

BAMBI

Muita neve. Um filhote de cervo e sons de tiros. Não tem mais mãe e não sabe se defender sozinho. A cena é considerada por muitos traumática e até hoje listada como uma das mais impactantes. Toda a construção é memorável.

IRMÃO URSO

Acompanhar as aventuras de Koda e Kenai é bem divertido. Enquanto Kenai luta para se adaptar ao corpo de urso, Koda arranca risos do espectador. Mas tudo muda quando eles finalmente chegam no seu destino e Koda começa a narrar o que aconteceu a sua mãe. Em poucas animações conseguimos ter duas perspectivas do mesmo fato. Aqui é uma dessas exceções.

TOY STORY 3

Creio que já saibam a qual cena me refiro. Bem, na verdade existem duas muito fortes. A primeira é a que todos dão as mãos e acham que vão ser incinerados. Forte. Porém, aquela que mexe mesmo com nossos canais lacrimais é quando Andy vai visitar Bonnie e decide deixar Woody, Buzz e companhia por lá. Eles brincam uma última vez e Woody dá seu adeus ao amigo. É o momento que um ciclo se encerra para o início de outro. Quem tem brinquedos favoritos, assim como Andy, sabe o quão difícil é abrir mão deles.

UP – ALTAS AVENTURAS

Pessoas idosas são ranzinzas porque perdem a paciência fácil. Será mesmo? Ao menos foi o que pensamos de Carl quando lutava contra a construtora para manter sua casa em meio a tantos edifícios. Não poderíamos imaginar que havia muito mais por trás daquelas tábuas coloridas. É aí que as palavras dão lugar à melodia singular de Giacchino e  o espectador vai as lágrimas acompanhando a jornada de Ellie e Carl.

A PRINCESA E O SAPO

Essa não é aquela típica animação que todos falam, o que é péssimo, pois ela tem seus méritos. A começar com a introdução da Tiana e a fábula a qual apresenta o título. Além de falar da cultura do Sul dos Estados Unidos. Vamos deixar isso de lado e focar na cena impactante aqui que é o momento em que Ray parte dessa para encontrar a sua doce Evangeline. A princípio pensamos que estava louco, falando com uma estrela no céu, para no final, sermos surpreendidos quando ele também se torna uma.

CORCUNDA DE NOTRE DAME

A animação toda a gente sofre. Provável que seja uma das animações com viés mais política da Disney. Mas vamos deixar isso de lado um pouco. Quasímodo é aquele protagonista que a gente torce para ser feliz e quando achamos que finalmente vem, ele chega até a ser coroado, começa a ser atacado pelo povo e nem quando pede socorro o Frollo (novidade nenhuma) decide ajudar. Se isso não é de partir o coração, não sei mais.

O BOM DINOSSAURO

Animações com dinossauros sempre nos fazem sofrer. Littlefoot que o diga não é mesmo? Mas aqui tudo parecia estar indo muito bem com Arlo e Spot, até o momento que eles começam a trocar confidências. Arlo fala do pai que morreu e Spot, ilustrando bem a situação, fala de toda a família que perdeu. A cena nos pega de surpresa e rapidamente vem as lágrimas.

DIVERTIDAMENTE

Como uma animação com tantos personagens coloridos e ensinamentos neurológicos pode ser triste? Mas é. Não por toda a situação da Riley, a qual não irei me aprofundar muito, e sim pelo o que acontece com o Bing Bong. Ele fica ali tentando ajudar Alegria e Tristeza e acaba caindo no esquecimento. A cena que ele decide abrir mão de reencontrar Riley para ajudar Alegria a atingir seu objetivo é dura. Derramamos lágrimas e nenhuma são doces.

VIVA – A VIDA É UMA FESTA

Em primeiro lugar devo dizer, mais uma vez, como não curto essa tradução. Creio que perde parte da importância da trama. De toda forma, aquele momento que Miguel volta para casa e tenta fazer a Mamá Coco lembrar do pai é muito forte. Principalmente com toda a família ali acompanhando e é nítido quando o véu que cobria os olhos da Mamá Coco saem para dar lugar as lembranças e lucidez. Tanto do pai quanto da própria filha e de sua família. Peguem a caixa de lenço.

Ficamos aqui com a nossa lista das cenas mais tristes das animações Disney de acordo com uma escala aleatória de emoções e conversas com amigos. Qual é a sua cena mais triste? Entrou nessa lista ou ficou de fora?