Share
As mulheres dominaram as bilheterias em 2016!

As mulheres dominaram as bilheterias em 2016!

De acordo com uma pequisa apresentada pelo jornal britânico The Guardian, o ano de 2016 mostrou um aumento no percentual de mulheres protagonistas no cinema.

Dos 100 filmes mais rentáveis no ano 29% eram protagonizados por mulheres, provando assim um aumento de 7% em relação ao ano anterior e tudo graças aos títulos A Chegada, Ghostbusters e Rogue One: Uma História Star Wars estabelecendo um novo recorde.

A pesquisa desenvolvida pelo Centro de Estudos de Mulheres na Televisão e nos Filmes conseguiu desmistificar o grande medo dos estúdios em Hollywood os quais acreditavam, e ainda acreditam, que filmes com mulheres protagonistas não geram lucro ou buzz. O que eles parecem não ter entendido é que o problema não reside no sexo da protagonista, mas sim na construção do personagem e se consequentemente vai ser interessante o suficiente para conseguir atrair a atenção do público sem a necessidade de abusar de clichês e estereótipos para tal. Ou seja, vimos que é sim possível fazer um filme com atrizes em papéis principais nos quais elas lutem, sejam cientistas, heroínas, vilãs, engenheiras ou mesmo mães de família, mas sem cair em nenhum dos estereótipos os quais estamos cansadas de ver.

Outro fator que prejudica para que exista mais igualdade e oportunidade de bons papéis para as atrizes é a falta de Diretoras liderando as produções. Muitos estúdios tem preconceito de contratar mulheres para colocar à frente de grandes projetos temendo sabe-se lá o quê. Felizmente, existem diretores como Dennis Villeneuve, Gareth Edwards e Paul Feig (que dirigiram as produções citadas no início do texto) que entendem a importância de ter mulheres protagonistas nos filmes e acabam provando como o preconceito da indústria hollywoodiana não tem qualquer fundamento lógico.

Os números de 2016 citados aqui provam isso e logo no primeiro trimestre de 2017 tivemos outro título com mulheres que dominou as bilheterias: o Estrelas Além do Tempo. Ainda esse ano teremos A Bela e a Fera, Mulher-Maravilha, Alien: Covenant, Star Wars: Os Últimos Jedis, Velozes e Furiosos 8, todos com mulheres como protagonista e em diversos gêneros do cinema, mostrando que todo esse tradicionalismo, e até mesmo preconceito da indústria está com os dias contados.