Share
“Batman and Bill” e a outra história de origem do morcego

“Batman and Bill” e a outra história de origem do morcego

Se tem um símbolo que todos conhecem, mesmo não gostando de heróis, é o morcego que está ligado ao Batman. Entretanto, será que todos sabem qual é a verdadeira origem dele?

O que motivou o escritor americano Marc Nobleman a desvendar a história retratada em Batman and Bill foi devido aos ensinamento que aprendeu lendo quadrinhos desde criança: fazer o bem de forma altruísta e lutar por justiça. Justamente o que ele buscou durante mais de 10 anos para que o roteirista Bill Finger fosse reconhecido e creditado como um dos co-autores de Batman. Porém, a jornada foi longa e árdua.

O documentário começa num auditório em uma escola qualquer nos Estados Unidos, onde Marc narra com muita paixão sobre o fato de Bob Kane ter mentido sobre criar o personagem sozinho e apresenta as crianças suas descobertas acerca do trabalho de Finger e o caminho que o levou a encontrar Bob Kane e juntos criarem o herói. E é a partir de um trecho de uma entrevista de Bob Kane para Stan Lee que temos o começo do retrato de Kane, alguém bastante ambicioso e que visava a fama. Tendo isso em mente, vemos depoimentos de pessoas que estavam associadas à Bob Kane – fosse de forma direta ou indireta – e que corroboram com a imagem descrita por Nobleman que afirma nunca ter tido a oportunidade de conhecer o artista. Ao passo que o documentário se desenrola, fica claro que estamos lidando com uma típica história de super heróis, onde Bill Finger é a vítima, indefesa e sem voz, Bob Kane – assim como a DC Comics e Warner Bros – o vilão cheio de recursos e que ludibriou a vítima e Marc Nobleman faz o papel do herói, aquele que vai desmascarar os vilões. Ou seja, ele é o Batman para o Bill, tal qual foi creditado pelas redes sociais. E esse esquema funciona muito bem para cativar o espectador.

Nobleman, assim como os diretores Don Argott e Sheena M. Joyce, criam uma narrativa romantizada e imbuída de momentos trágicos, porém reais e que nos conectam diretamente com a história ao longo de quase 77 anos. Sem usar de meias palavras e munidos de documentos, gravações em fita, depoimentos e entrevistas, descobrimos a verdadeira história por trás da origem do Batman: Bill Finger teve uma participação bem maior na criação do herói do que Bob Kane.

Parece ser uma trama simples, mas é muito complexa. Em 1939, querendo fama e fortuna, Bob Kane decide que vai criar um super herói que renderá tanto quanto o Superman. Só que seus esboços iniciais não dão em nada e ele pede a ajuda de Bill Finger que refina as ideias de Bob ditando como vai ser o uniforme do personagem, as cores que deve usar, quais as suas motivações, quem são os principais vilões, a cidade que ele mora e seu passado, cria até mesmo o apelido de Cavaleiro das Trevas. Logo, Bob Kane não fez quase nada, a não ser assinar seu nome na ideia e apresentá-la aos executivos da National Comics Publication (antigo nome da DC Comics) e assinar um contrato de exclusividade. Para Bill ele afirmou que essa era a melhor opção e que dividiriam os lucros, contudo, Bill viu muito pouco ou quase nada desse dinheiro.

Conforme a fama do Batman ia aumentando, o mesmo acontecia com Bob Kane que passou a figurar os holofotes da fama como sempre desejou. Era convidado para dar entrevistas, posava ao lado de litogravuras que desconfiam nem tenha sido ele próprio a desenhá-las e acreditava ser a encarnação do Bruce Wayne. Para Bill, restou o esquecimento e escrever pequenas histórias de horror para conseguir pagar as contas. Morreu sozinho em seu apartamento no ano de 1974 sendo encontrado por um amigo dias depois. Enquanto isso, Bob Kane desfrutava dos louros de Batman e continuava afirmando ser o único criador do herói.

Nem Marc Nobleman, nem ninguém relacionado ao documentário conseguiu conversar com Bob Kane, pois o artista havia falecido poucos meses antes do início do projeto. Mas é graças ao escritor de sua biografia, Batman & Me Tom Andrae, que tiveram acesso as entrevistas concedidas pelo artista à Andrae nas quais confessa que não criou o personagem sozinho e que desejava ter feito mais por Bill antes dele falecer. E fica a questão: Por que não o fez?

Diz o dito popular que ‘uma mentira contada muitas vezes torna-se uma verdade’ e foi com base nisso que Bob Kane se fez valer por todos esses anos. Por que, de uma hora para outra, teria peso na consciência e viria a público afirmar que tudo aquilo que falou e o contrato que assinou era uma mentira? Ainda que tenha feito isso em sua biografia, não muda o fato de que a linha de crédito do personagem, em qualquer tipo de mídia constava apenas o seu nome. E é aqui que começa a verdadeira batalha de Marc Nobleman para fazer com que Bill Finger fosse não apenas reconhecido pela DC Comics e Warner Bros como um dos co-criadores, mas também que se tornasse conhecido pelos fãs que até então, achavam que deviam ser gratos somente ao Bob Kane.

Batman and Bill é um documentário em cartaz no serviço de streaming Hulu que emociona e vai fazer com que os fãs conheçam não apenas a real origem do Cavaleiro das Trevas, mas também os bastidores de um mundo o qual temos pouquíssimo contato, ainda mais naquela época. Estava mais do que na hora de Bill Finger sair das sombras, do anonimato e ser apreciado pelos fãs por toda a sua contribuição na criação de um dos maiores ícones das histórias em quadrinhos.

  • Cinéfilo da Terra 2

    Adorei o texto. Vou procurar o filme. Despertou demais o meu interesse.

    • Melissa Andrade

      Oi Cinéfilo! Desculpa a demora em te responder!
      Fico feliz que tenha gostado do texto e que agora vai procurar assistir ao documentário!
      Peço que volte para dar sua opinião!
      Obrigada!