Share
“Big Little Lies” poder, mentiras e muito mistério

“Big Little Lies” poder, mentiras e muito mistério

A autora Liane Moriarty ficou famosa por retratar bem a mística feminina em seus livros e focar suas histórias em personagens do sexo feminino, sejam elas mães de família, filhas, avós e até mesmo crianças, não importa. Ela possui um dom natural para abordar os dilemas desse mundo tão particular e isso agora está sendo retratado na série da HBO Big Little Lies.

Situado em uma pequena e abastada comunidade litorânea o seriado começa no primeiro dia de aula das crianças com a jovem Jane (Shailene Woodley) indo levar o filho Zig (Iain Armitage) para a escola e acaba oferecendo ajuda a Madeline (Reese Witherspoon) que se acidenta no mesmo caminho. Rapidamente as duas se tornam amigas e Madeline inclui também Celeste (Nicole Kidman) ao trio. O episódio então volta no tempo e descobrimos que ocorreu um assassinato em uma noite de festa, porém não sabemos qualquer detalhe a não ser através de flashes da investigação feita pela polícia que conta com o depoimento mais do que sincero de alguns membros dessa seleta comunidade e que convivem diariamente com as mulheres citadas acima além de outras.

O elo em comum entre elas é que são todas mães e membros ativos dessa comunidade. Seja promovendo feiras, atividades extras para as crianças, festas beneficentes ou mesmo peças de teatro. Com exceção de Jane que acabou de se mudar e claramente ainda não chegou na casa dos trinta, as demais moram ali há bastante tempo e mesmo sendo mais velhas, não significa exatamente que sejam mais experientes. Jane esconde do filho a razão de terem se mudado para aquele lugar no qual nenhum dos dois parece se encaixar muito bem. Madeline mesmo casada de novo, vive as turras com o ex-marido e guarda ressentimentos da traição despejando-as na atual esposa do ex. E Celeste vive um relacionamento abusivo com o marido o qual ela ainda não descobriu como deve lidar. Segredos esses que circulam apenas dentro do lar de cada uma, mas que parece uma bomba prestes a explodir a qualquer segundo.

Big Little Lies foi criada por David E. Kelley, o mesmo responsável por Ally McBeal, e que conta com produção executiva de Liane Moriarty, Reese Whiterspoon e Nicole Kidman, gira em torno desse universo competitivo de mulheres poderosas, bem sucedidas e que também são esposas e mães. O peso de ter que gerenciar não apenas a sua vida, mas também a dos filhos e balancear com a carreira acaba tirando o melhor delas e mostrando ao público quadros que muito se assemelham à vida real. Nenhuma delas está disposta a fraquejar ou mostrar que não é capaz de lidar com tantos problemas e compromissos ainda que isso seja visível, mas não pode ser verbalizado.

Essas mulheres consideram um sinal de fraqueza admitir que não conseguem lidar com várias funções ao mesmo tempo e temem que a comunidade, de uma forma ou de outra, termine por isolá-las do convívio tal qual é feito com alguns animais selvagens quando estão prestes a morrer. Passando assim a ter um comportamento mais agressivo e brigar por territórios pífios, mas que para elas tem um importância enorme: a vida social dos filhos pequenos.

Em dois episódios assistidos fui capaz de desvendar o mistério envolvendo a mudança de Jane para aquele lugar, porém nada sei sobre o assassinato e quem pode ser a vítima tendo em vista que muita coisa é apresentada em um período tão curto de tempo.

O que é possível afirmar sobre Big Little Lies é que a série tem sido fiel as histórias criadas por Moriarty em seus dois livros – o qual li apenas o que leva o título da série e lançado no Brasil pela nossa parceira a Editora Intrínseca – e que com esse elenco ímpar pronto para mostrar que existe muito mais no mundo da mulher em séries do que apenas a preocupação do romance.

Big Little Lies começou em 19 de Fevereiro e vai contar com um total de 7 episódios.