Share
#CCXP 2015 foi epicamente bagunçada!

#CCXP 2015 foi epicamente bagunçada!

E chegou o famigerado evento da Comic Con Experience que tanto aguardavam os fãs, mas não esta que escreve esse texto. Não me interessei em ir na primeira edição e, dessa vez, resolvi dar uma chance.

Antes de mais nada é preciso deixar claro que o parecer aqui é do ponto de vista de uma Jornalista e não de um espectador comum. Portanto, os apontamentos podem ser um tanto diferentes do esperado.

Vamos começar relatando os problemas com a assessoria de imprensa meses antes do evento acontecer. Ela não existia e as respostas dadas por alguém que, presumo fosse um estagiário contratado as pressas para quebrar o galho, eram as piores possíveis. Ao requisitar mais informações a respeito das credenciais recebi e-mail com palavras como “contemplado” e orientando comprar o ingresso e pedir reembolso depois. Solução essa nada aceitável, pois não se manda a imprensa comprar o ingresso para cobrir e produzir mídia de graça para um evento. Isso não existe! Mais fácil seria dizer que não sabiam quando o cadastro abriria e pronto. Ficou parecendo que a CCXP estava fazendo um favor a imprensa ao “dar” essas credenciais. Lamentável.

Meses depois o cadastro saiu e consegui a credencial para cobrir Quinta e Sexta-feira, os dias mais “tranquilos” do evento, assim diziam.

Na Quinta-feira o evento começou calmo e era possível circular sem esbarrar em muita gente. Fotografar tornou-se uma tarefa complicada tendo em vista que os frequentadores não possuem visão periférica e era preciso sinalizar constantemente que você estava ali tentando realizar uma cobertura para o seu site ou canal. Várias vezes vi pessoas passando na frente de câmeras e reclamando que elas estavam paradas ali no meio do caminho. Como se quem filmasse não estivesse fazendo nada, certo?

Os estandes eram as atrações principais e alguns deles ofereciam bons atrativos ao público o fazendo perder algumas horas ali. No estande da Sony Pictures, por exemplo, havia uma réplica do carro dos Caça-Fantasmas onde era possível se vestir como um e posar na frente do veículo. Além de atração com os Angry Birds, PlayStation 4 e uma sala de Escape 60 baseada no filme Inferno, do mesmo livro de Dan Brown e que será lançado no próximo ano. A fila para inscrição era enorme e foi uma das atividades mais disputadas.

Na FOX as animações tomaram conta e tinha ringue de patinação da Era do Gelo, yakisoba do Poo de Kung Fu Panda e um cenário do Deadpool para fotos. Posteres eram distribuídos para aqueles que participavam de algumas atividades ou simplesmente pedindo aos staffs do estande.

Outro estande que estava constantemente cheio era o da Netflix com muitas atividades que valiam brindes como posters, squeezes, camisetas e almofadas. Os fãs lotaram o estande na Sexta-feira na esperança de conseguir um voucher para conhecer David Tennant, Krysten Ritter e o elenco de Sense8, mas as pulseiras esgotaram bem rápido. O painel, aliás, durou menos do que o esperado e houve muita reclamação de quem estava por lá.

Para aqueles que foram consumir, opção era o que não faltava. O estande da Iron Toys, com suas figures exclusivas e limitadas possuía uma fila constante daqueles que queriam adquirir algumas peças exclusivas do evento. Havia ainda outros estandes com opções interessantes e outros com itens a preços exorbitantes. Tirando alguns poucos produtos, a grande maioria exposta ali era possível encontrar nas lojas físicas, quase todas localizadas em São Paulo, e muitas vezes com preço bem mais em conta. Era preciso pesquisar se um item que lhe interessou não estava mais barato em outro lugar. Produtos como Funko Pop, por exemplo, custavam entre R$70 e R$120 reais, dependendo de qual fosse o personagem.

Todavia, não dá para negar que ver ao vivo produtos que antes só conhecíamos por fotos na internet são mesmo incríveis. Especialmente para repararmos na riqueza de detalhes nas peças.

Já vimos os estandes, andamos bastante, hora de comer. As opções na praça de alimentação eram bem variadas, mas os preços pareciam ter sido embebidos em sal antes de irem para lá. Uma pizza de frigideira, que a Domino’s insistia em chamar de brotinho custava a bagatela de R$18 reais. Uma garrafa de água por R$5,00 e boa sorte para encontrar um bebedouro que estivesse funcionando. Os banheiros ficaram sujos bem rápido e muitos estavam entupidos. Não vou mencionar as filas porque num evento desse porte seria chover no molhado.

Então, você Jornalista, conseguiu comer e agora quer descansar um pouco na sala de imprensa e liberar  material para aqueles que acessam seu site. Qual não foi a surpresa ao descobrir que existiam duas salas de imprensa? Pois é, aparentemente os veículos foram separados por tamanho e consequentemente, importância. Outra bola fora. Sem mencionar a sobrecarga elétrica que danificou alguns equipamentos. Quer cobrir um painel? Entre na fila, como todo mundo, e vá tentar a sorte. Aqui nem todos aqueles que foram credenciados como imprensa tem a chance de fazer uma cobertura completa. Caso queira, durma na fila. Mais bola fora.

Na hora de ir embora, mais fila. Quinta-feira eram apenas dois ônibus executivos para levar e trazer mais de 200 pessoas, o que causava filas quilométricas e espera de mais ou menos 1h30. O povo foi para internet reclamar e a quantidade de ônibus aumentou nos outros dias.

Por fim, o evento cumpriu seu papel e garanto que até a próxima edição o povo vai esquecer tudo o que aconteceu e vibrar por mais uma CCXP que quer se valer dos moldes da famosa San Diego Comic Con, mas que nunca irá se igualar a tal por uma série de razões. Principalmente enquanto continuarem pensando no micro ao invés do macro.

PS1: Fui informada de que havia a existência de uma tal pulseirinha azul que dava acesso a outra sala de Imprensa, como também as entrevistas coletivas e painéis. No entanto, não vi nenhum dos meus amigos do meio ou outros Jornalistas/Blogueiros menos conhecidos usando uma.

PS2: Esqueci de mencionar a fila de 3h para conseguir ao menos entrar no evento. Como estava credenciada de forma diferente, de fato “furei” a fila, mas sempre bom registrar a falha aqui e também em solidariedade aqueles que precisaram enfrentar essa confusão.