Share
“Covil de Ladrões” – E quando a lei é fora da lei?

“Covil de Ladrões” – E quando a lei é fora da lei?

Los Angeles é o condado dos Estados Unidos com a maior quantidade de roubos a banco por ano. Uma quadrilha extremamente bem preparada planeja o impossível: assaltar o Banco Central. O prédio de segurança máxima que foi o único a não ser assaltado em todo o condado.

O que a quadrilha não esperava era que uma falha no inicio de seu plano colocaria a equipe de Crimes Graves do departamento policial no seu encalço.

Nick (Gerard Butler) é o chefe da equipe de Crimes Graves que é praticamente uma gangue ‘do lado bom’. Ray Merrimen (Pablo Schreiber) é o líder da quadrilha tática de assaltos à banco, tendo Levoux (50 Cent) como braço direito. No meio de duas ‘gangues’ temos Donnie (O’Shea Jackson Jr.). Um ex presidiário que trabalha como barman, que acaba incorporado à gangue de Ray por suas habilidades de direção, e é de fácil acesso aos policiais do grupo de Nick.

Covil de Ladrões é um daqueles filmes que você acaba tendo um pouco de dificuldade de saber se ama ou odeia. Em questão de trama, precisei terminar de ver o filme para poder afirmar que o roteiro foi bem construído. Mas é algo que só dá para analisar vendo o todo.

Covil de Ladrões

O que esperar de Covil de Ladrões?

O filme tem um quê da sensação 11 Homens e um Segredo. Ao longo do filme, o espectador já está tão instigado para saber se os bandidos vão conseguir assaltar o Banco Central, que acaba até torcendo para que dê certo. Ao mesmo tempo, torce pelos policiais. O núcleo policial “bonzinhos, não tão bonzinhos assim”, sai da rotina de lugar comum em filmes do gênero. Com a apresentação dos personagens, tem certos momentos que esquecemos quem é bom e quem não é. Uma construção de personagens em uma área cinza.

No inicio de Covil de Ladrões é meio confuso entender o que está acontecendo. É aos poucos que tudo começa a ser explicado. Dá para comparar o andamento do filme com uma boneca russa: uma história dentro de outra história, dentro de mais uma história.

Parece confuso, mas é essa a sensação que o filme passa: você é apresentado a uma história, quer saber sobre ela. Mas te contam toda uma outra história antes, o que deixa o filme com um desenvolvimento mais lento, em contraste com as cenas de ação e tiroteio, que são mais rápidas.

Covil de Ladrões

O final do filme faz toda a diferença. Para bons observadores, respostas para detalhes, só vêm no momento final, com uma cartada de mestre do roteirista.

Covil de Ladrões é um bom filme policial de ação para aqueles que gostam do gênero. E querem fugir dos filmes mais convencionais.

Ficha Técnica:
Direção: Christian Gudegast
Roteiro: Christian Gudegast e Paul Scheuring
Elenco: Gerard Butler, Pablo Schreiber, O'Shea Jackson Jr., 50 Cent, Meadow Williams, Maurice Compte, Brian Van Holt, Evan Jones, Mo McRae, Kaiwi Lyman, Dawn Olivieri, Eric Braeden, Jordan Bridges, Lewis Tan, Marcus LaVoi
Duração: 2h20min
Estreia: 5 de abril