Share
“Doentes de Amor” foge do romance convencional

“Doentes de Amor” foge do romance convencional

A temática garoto encontra garota é antiga e bem conhecida. Existem ótimos filmes sobre e outros nem tanto. Doentes de Amor (The Big Sick) está dentro e fora desse parâmetro. Mas de uma forma bem positiva. E nada convencional.

O longa foi escrito pelo comediante paquistanês (isso precisa ser ressaltado) Kumail Nanjiani e é baseado em como ele conheceu sua esposa Emily. Nanjiani é de uma tradicional família paquistanesa e sua mãe estava sempre tentando lhe arranjar esposas. Afinal, essa prática continua sendo comum nos dias de hoje.

Óbvio que Kumail – que interpreta ele mesmo – está se virando muito bem no quesito romance enquanto apresenta seus shows de stand up em um clube. E é quando ele conhece a extrovertida Emily. Não demora muito os dois engatam um romance, sem compromisso, no qual se apaixonam cada vez mais. O problema surge quando Emily quer apresentar seus pais a Kumail e conhecer os dele. Não contou aos pais que conheceu alguém. E ainda pior, se fizer isso, está arriscado a romper de vez os laços com sua família.

Toda essa situação acaba separando os dois por um tempo. É quando Kumail recebe uma ligação dizendo que Emily está no hospital e precisa de companhia. Vai até lá, porém, quase não conseguem conversar, pois o quadro da garota piora e ela acaba sendo colocada em coma. Assim, Kumail conhece os pais de Emily e é quando toda a história se desenrola.

Doentes de Amor é objetivo, possui um humor perspicaz e é bastante crível. Diferente de todos esses romances os quais só parecem possíveis mesmo em filmes, aqui é tudo muito real. Justamente por isso, torna-se uma experiência agradável acompanhar essa trama na telona. O humor de Kumail flui de modo natural e inteligente, tal qual seu relacionamento com Emily, que passa por situações as quais todos podem se identificar. Em especial quando começa a conhecer melhor os futuros sogros. Que é outro ponto interessante do filme.

Sua relação com os pais e o que mais engloba esse núcleo é bem desenvolvido. Até mesmo a sua própria história e a conflituosa relação com os costumes paquistaneses em meio ao caos urbano em que vive. Tudo isso é colocado de uma maneira que transforma essa comédia-romântica-biográfica em um daqueles filmes independentes que acalentam o coração. Sem deixar de lado as atuações cativantes de Kumail Nanjiani e Zoe Kazan que faz Emily.

O elenco ainda conta com Ray Romano e Holly Hunter como os pais de Emily e Anupam Kher um famoso ator indiano que foi escolhido pelo pai verdadeiro de Kumail para interpretá-lo. E o ator adora contar essa história em entrevistas.