Share
“Hereditário” não é o que parece

“Hereditário” não é o que parece

Ao classificar um filme dentro do gênero terror, é inevitável que alguns clichês surjam na cabeça do público. Só que isso não quer dizer que tais expectativas precisam ser atendidas. E é nessa linha que segue o enredo de Hereditário.

De cara o longa começa confundindo a cabeça do espectador. A primeira cena oscila entre o real e o fantasioso ao misturar o trabalho da protagonista com os personagens. Annie é a matriarca e responsável por recriar cenas com riqueza de detalhes em maquetes.

Logo, todo o cenário, que foca principalmente na casa da família, parece algo construído por Annie. O que é proposital. O set foi feito para parecer um diorama – uma representação tridimensional de cenas da vida real. Assim o espectador passa a se questionar sobre a veracidade dos acontecimentos. Se são mesmo reais ou frutos de alguma outra coisa. Hereditário aposta nessa constante dúvida, como também em surpresas.

Nem de longe dá para prever o que vai acontecer no filme. A princípio parece que se trata de um espírito vingativo, tendo em vista que o longa começa com o falecimento da mãe de Annie. Não demora muito a ideia é descartada. O que leva o espectador a se questionar sobre o significado do título.

Tal questionamento nos leva a duas possibilidades: a primeira de ser algo sobrenatural e a segunda de ser psicológico. Mas, qual é a verdadeira?

Hereditário não é o que parece, pois opta por fugir do padrão daquilo que é esperado em filmes do gênero. Contudo, ainda se mantém como sendo um filme de terror, mas por suas próprias razões. E tal feito deve-se tanto a forma que o cenário foi construído, como também a atuação singular de Toni Collette. Num elenco reduzido é ela quem tem todo o destaque, entregando reações genuínas e plantando dúvidas na cabeça do espectador. O que acaba por prender a atenção do início ao fim do filme. Porém, o ritmo é vagaroso para que se preste atenção nos detalhes em cada cena a fim de que seja possível desvendar o mistério sobre o que de fato foi herdado nessa família.

Ficha Técnica
Diretor: Ari Aster
Roteiro: Ari Aster 
Elenco: Toni Collette, Alex Wolff, Gabriel Byrne, Milly Shapiro, Ann Dowd, Mallory Bechtel 
Duração: 2h7min 
Estreia: 21 Junho