Share
HQ: “Bulldogma” de Wagner Willian

HQ: “Bulldogma” de Wagner Willian

Precisamos falar sobre Deisy, ou melhor, sobre Bulldogma.

Bulldogma é um daqueles livros que desde o lançamento não saiu do pensamento daqueles que o leram. Da vontade de quem ouviu falar e quer ler. Das listas de melhores do ano (2016) e do imaginário das pessoas. Quando a pergunta é: Qual o diferencial desse quadrinho, a resposta é bem simples: Deisy.

A personagem principal dessa trama não nasceu ali. Na verdade, ela vem de um dos contos apresentados no livro Lobisomem sem Barba, também escrito pelo inovador e multimídia, Wagner Willian. Além de quadrinista, o autor é artista plástico, ilustrador, publicitário e muitas outros ofícios em que engrena com maestria.

Bulldogma é acima de tudo, uma escola para a construção de um personagem. Ao final de cada página, que estão recheadas de referências da cultura pop, algumas bem conhecidas, outras mais sutis e que te faz parar várias vezes a leitura, abrir o Google, e imergir nos assuntos, e voltar para a trama com uma bagagem mais igualitária com a protagonista. Mas isso não é possível, pois, Deisy é tão rica culturalmente que decifrá-la seria o mesmo que tentar decifrar aquela garota descolada que te chama atenção na rua. É formada por tantas camadas, que qualquer julgamento prévio, já é um erro gravíssimo, e errar com Deisy não é uma boa ideia.

Você começa a acreditar que pode encontrar a garota em qualquer lugar. Tomando uma cerveja por aí, em uma balada, andando pensativa pela madrugada ou simplesmente perambulando pelos becos. A construção da personagem é tão palpável, que dá vontade de chama-la para um café.

Após conseguir um apartamento bem abaixo do valor padrão imobiliário – por ser um local onde as pessoas contam histórias sobre abduções extraterrenas – a garota tenta tocar a vida trabalhando com seus projetos mais diversos. Desde ilustrações de livro infantil, embalagens publicitarias e em seu projeto pessoal: uma história em quadrinhos. E é aqui que a magia acontece.

O livro nos conta sobre suas enrascadas profissionais, suas armadilhas amorosas, seus dias sem fazer nada, seus dias sem tempo pra respirar, e seu mundo em constante movimento, como a vida de um bom freelancer deve ser. Existe muito mais de Deisy em nós do que imaginamos. Acredite.

Bulldogma é recheado de metalinguagem, mesclando acontecimentos da vida da personagem de forma não linear, e adicionando aspectos surrealistas para conduzir a história em um caminho único e intrigante. Muitas vezes não sabemos o que está acontecendo, onde a trama está nos guiando, se é algo que realmente está passando com Deisy ou se é um pensamento dela, se é o quadrinho que ela está criando, se tudo é real, se abduções existem, ou todas as alternativas anteriores.

A história da jornada adulta e independente da jovem mulher, é um paralelo com a vida de muitas pessoas que estão tentando viver em meio a tanta crise e contas pra pagar. Mas que se apegam a liberdade e acreditam no seu modo de ver o mundo e tentam sobreviver com todas as suas forças. Um momento de transição que faz muitos desistirem e abandonar seus sonhos. Acredito que seja um paralelo com a vida do próprio autor, que explora a personagem como uma extensão de si mesmo. Como um dedo que nasceu a mais…

É claro que não podemos deixar de fora um personagem muito importante para todo esse mundo que foi construído para fundir-se com a nossa mente e nunca mais abandoná-la. Estamos falando de Lino, o maravilhoso bulldog que divide o apartamento com a protagonista, criando várias situações peculiares e arrancando sorrisos dos leitores. Como não amar Lino?

Bulldogma foi premiado e coube a Wagner Willian o troféu de Novo Talento Roteirista no HQMIX de 2017. O autor agora está participando da seleção anual do ProAC (Programa de Ação Cultural) com seu novo projeto de histórias em quadrinhos.

Deisy continuou seu legado no terceiro livro do autor: O Flerte da Mulher Barbada, onde são apresentadas e reunidas uma seleção de entrevistas com diversas personalidades do universo dos quadrinhos, que originalmente foram feitas para um blog. São entrevistados pela própria personagem, mais uma vez quebrando as barreiras da ficção com a realidade, ou vice e versa.
É possível conferir essas entrevistas online aqui!

Não existem dúvidas do porquê esse trabalho foi apontado nas listas de melhores do ano desde o seu lançamento até os dias de hoje. Apontar o livro como um dos mais importantes do cenário nacional desta nova geração, que vem crescendo e enriquecendo essa nona arte que tanto admiramos, não é nem um pouco ousado. Pura honra e mérito do autor.

Quando for pisar no mundo de Deisy e Lino, não se esqueça de entrar e pesquisar todos os nomes, músicas, filmes, links e outras referências sugeridas. Vai transformar sua leitura e vida em algo muito maior e complexo. Essa é a verdadeira abdução.