Share
HQ: “Repeteco” de Bryan Lee O’Malley

HQ: “Repeteco” de Bryan Lee O’Malley

Desde que fez sucesso com a HQ de Scott Pilgrim Contra o Mundo, ganhando até um filme bem elogiado pela crítica e os fãs, O’Malley ficou devendo mais de seu trabalho e em 2014 lançou Seconds que chega por aqui como Repeteco pelo selo Quadrinhos na Cia. da editora Companhia das Letras.

seconds7Antes de falar da trama vou tirar o elefante branco da sala que nesse caso é a tradução. Tenho apreço e consideração enorme pelos tradutores brasileiros e no trabalho que envolve transformar um livro de um idioma para outro sem que a história se perca pelo caminho. Costumo ler tanto em inglês quanto em português, as vezes até o mesmo livro para comparar e, tirando uma ou outra expressão local, são praticamente iguais. Entretanto, ultimamente as traduções tem ‘sofrido’ de um mal chamado ‘localização’ que consiste em ambientar uma tradução em uma determinada região do país. No caso do Brasil significa basicamente tramitar entre Rio de Janeiro e São Paulo, muito mais na segunda opção. Bom explicar que não sou contra ‘localização’ e nem contra os vícios de linguagem dos Paulistas, alguns os quais costumo usar coloquialmente no meu dia a dia. Porém, sou sim contra o uso massivo dessas expressões quando é óbvio que havia outra saída para o diálogo e não foi a escolha do tradutor Érico Assis que deixou bem claro que fez a tradução da forma que mais lhe apetecia, dentro do que ele queria comunicar e não o autor. Pretensioso, não?

seconds1

Dito isso, ainda que a história seja muito divertida, sobre reconhecer seus erros, persistir neles e saber encarar a derrota, a quantidade de gírias a cada página acaba cansando um pouco e tirando o prazer da leitura.

seconds6

Em contraponto, temos Katie, uma personagem tão vibrante e real quanto o próprio Scott Pilgrim. Katie poderia ser qualquer pessoa que conhecemos. Poderia, e até é, nós mesmos em alguns momentos. Quando preferimos nos enfiar debaixo das cobertas do que ter que enfrentar algum problema. Dormir para tentar esquecer um dia turbulento. E a teimosia que persiste em todos quando achamos que estamos no caminho certo, quando na verdade nos desviamos dele alguns quilômetros. Katie é a ex dona do restaurante Repeteco que agora está totalmente no controle de Raymond que era seu sócio. Ela é chefe de cozinha e leva sua paixão muito a sério, por isso demorou para aceitar que Andrew é um substituto a altura. Agora é a hora de ser dona do próprio restaurante, que vai levar seu nome, só que as reformas e sua vida pessoal não estão caminhando exatamente com o que Katie sonhava. Tudo complica mais com o aparecimento de Liz, uma entidade a qual Katie quer e não quer acreditar e que lhe dará a oportunidade de consertar as coisas ou bagunçar tudo de vez. O que você faria se tivesse a oportunidade de viver o mesmo dia: não mudaria nada ou agiria diferente? O que será que Katie fez?

seconds4

O autor brinca com probabilidades do universo numa atmosfera meio O Dia da Marmota, com a diferença que o dia não é sempre igual já que Katie opta por mudar uma coisa ou outra ou o dia inteiro. O’Malley decide ir mais a fundo e abordar o apego que o ser humano tem a memória, lembranças felizes e como costumamos recorrer a elas quando a vida não está indo conforme o planejado. Nesse ponto, de uma forma bem peculiar e engraçada, exemplifica o quanto o presente é muitas vezes mais importante que o passado na hora de construir um futuro, pois quando Katie volta e refaz algo, acaba perdendo semanas de vida, sem entender como as situações se desenrolaram ou o que ela deve fazer a seguir.

seconds5

Sem um passado não existe o presente, mas, sem o presente não tem futuro. Importante lição que é passada em Repeteco e que todos deveriam ler, se conseguirem passar por tantas gírias.

  • Raniel Andrade

    Adorei o post, to até pensando em comprar esse também.