Share
Na Estante: “O Orfanato da Srta. Peregrine Para Crianças Peculiares” de Ransom Riggs

Na Estante: “O Orfanato da Srta. Peregrine Para Crianças Peculiares” de Ransom Riggs

Sou uma dessas raras pessoas que compra o livro pela capa. Vou na livraria, olho todos os livros, e aquela capa ou aquelas capas que mais chamam minha atenção pego para ler a sinopse e, se me interessar, compro.

Também presto atenção nos filmes que vão ser baseados em livros. Levando em consideração que a maioria das produções hollywoodianas atuais foram retiradas de algum livro, não é lá uma tarefa muito difícil. Entretanto, esse livro em particular me deixou curiosa por dois motivos: as imagens antigas e assustadoras e por virar um filme dirigido pelo Tim Burton e, para deixar claro, não sou fã dos trabalhos mais recentes dele.

livrorfanatoFelizmente, O Orfanato da Srta. Peregrine Para Crianças Peculiares me surpreendeu. É uma leitura fácil, fluida e que consegue enganar bem. Como assim “enganar”? Calma que explico.

Digo enganar porque não é nada daquilo que imaginamos, fugindo a vários conceitos e estereótipos, ainda bem. Não é um livro YA de terror, ainda que as fotografias tenham me deixado com medo em vários momentos. Não é um mero livro de fantasia, mesmo que as crianças tenham poderes e peculiaridades. E não é parecido com nada do gênero que tenha lido. E, olha, costumo ler muitos livros de fantasia e Ransom Riggs foge de todos os clássicos recursos utilizados normalmente. Nem estou me referindo a história principal, que é original e deveras interessante. Falo de toda a construção de personagens, a começar com a relação avô e neto, muito bem trabalhada e da típica estrutura familiar que falha em muitos aspectos e por isso deixa tudo ainda mais real.

Jacob, nosso personagem principal, é um perfeito zé ninguém. Passa seus dias apenas sobrevivendo ao fardo de ser um adolescente e esperar conseguir chegar até a faculdade. Não é ambicioso e nem tem grandes sonhos. Ele apenas existe. Ainda que almeje internamente ser muito mais. Isso deve-se claramente a maneira que foi criado pelos pais e as histórias que seu avô contava e que os pais insistiam que eram mentiras. Dessa maneira acabaram por tolir, querendo ou não, a imaginação do garoto e ele cresce meio amargurado. Após a trágica morte de seu avô ele decide procurar por esses fragmentos do passado e acaba encontrando, por acaso, a Srta. Peregrine e todas as suas crianças. Porém, nada é só magia e diversão e cedo, cedo vão ter que enfrentar perigos reais. Todos os integrantes da casa são muito bem elaborados, cada qual com sua peculiaridade e personalidade, tornando-os únicos e essenciais para o desenrolar da trama.

E por isso usei a palavra enganar. Não há como esperar essa leitura apenas olhando a capa do livro e, justamente por isso, O Orfanato da Srta. Peregrine Para Crianças Peculiares consegue cativar o leitor desde o primeiro capítulo. O livro foi inicialmente lançado pela Editora LeYa, mas teve os direitos adquiridos pela Editora Intrínseca recentemente e é uma trilogia.