Share
Na Estante: “Simon vs. The Homo Sapiens Agenda” de Becky Albertalli

Na Estante: “Simon vs. The Homo Sapiens Agenda” de Becky Albertalli

Sabe aquele livro que te prende da primeira até a última página? Que te deixa triste quando termina? É assim com Simon vs. The Homo Sapiens Agenda.

Esse livro já estava na minha lista de leitura há algum tempo. Porém, devido a razões diversas não peguei para ler na época do lançamento. Para ser bem honesta, nem sabia do que se tratava. Gostei muito do título e por isso deixei-o salvo no Kindle. E como a minha curiosidade quase nunca me decepciona, fui surpreendida mais uma vez.

De cara quero falar do estilo de narrativa que mistura a narração do personagem principal, o Simon, com os e-mails que ele troca com o misterioso Blue e outros diálogos. Esse tipo de narração alternada contribui para criar uma leitura dinâmica e que não cansa o leitor. Na verdade, o deixa ainda mais curioso para continuar e descobrir os outros pontos soltos deixados entre os capítulos. Ainda que a história siga uma cronologia linear, os acontecimentos se dividem em três momentos distintos: escola, casa e a caixa de entrada.

A história de Simon nos é apresentada nas primeiras páginas do livro: ele é um adolescente, de 17 anos, um tanto popular, com uma família divertida e meio moderna e que guarda o segredo de ser gay. Não sabe bem como e nem quando pretendo revelar-se para a família e é aí que surge Blue na vida dele. Depois de ler um post no Tumblr decide responder ao autor e logo eles começam a trocar e-mails.

Blue estuda na mesma escola que Simon e também é gay. E assim como o protagonista está enfrentando a difícil realidade de se assumir publicamente. Só que eles não conhecem a identidade um do outro e essa troca de confidências, aos poucos, se transforma em um romance. Simon não consegue parar de pensar em Blue, em quem ele deve ser e o que vai acontecer quando se encontrarem. Como nem tudo na vida de um adolescente são flores, nesse caso o fato de ser gay atrai um pouco mais de complicação, em especial quando Simon passa a ser chantageado por um colega de turma. Martin pede que Simon lhe ajude a conquistar Abby que é uma de suas amigas em troca de não contar a ninguém que ele é gay. Pronto. É aqui que o mundo dele começa a dar uma virada.

Simon vs. The Homo Sapiens Agenda lida de forma magistral com um assunto tão delicado, que fica impossível para o leitor não se conectar ao personagem e ao seu dilema. Mesmo que a sua orientação sexual seja outra. A forma com a qual essa história é construída, a apresentação dos personagens, os temas levantados são tão atuais e pertinentes que tornam a leitura prazerosa.

Simon mesmo sendo gay não está livre dos seus próprios preconceitos e estereótipos. Não está longe de idealizar pessoas devido a uma construção imposta de forma indireta pela sociedade. Tampouco de tomar decisões que vá prejudicar os amigos, mesmo querendo que eles sejam caridosos com ele. A autora Becky Allbertalli consegue criar personagens tão humanos e falhos e que cativam o leitor. Estão tão presos em seu próprio mundo e problemas, pelas razões de cada, que tem certa dificuldade em enxergar o mundo ao redor. Em enxergar melhor o outro e parar de querer que só lhe estendam a mão. Toda relação é uma via de mão dupla e ninguém caminha sozinho. Aqui não é muito diferente.

Este é provavelmente um dos livros mais tocantes que li nos últimos meses e que me propõe a visão de uma história a qual não teria acesso. Me fez enxergar algo que foge a minha alçada e é sempre ótimo quando isso acontece. Ainda mais vindo de um livro.

O livro foi publicado no Brasil pela Editora Intrínseca e transformado em filme pela 20th Century Fox a estrear por aqui em 5 de abril.