Share
“No Olho do Furacão” usa desastre como pano de fundo

“No Olho do Furacão” usa desastre como pano de fundo

Sempre que penso que já tive a minha cota de filmes de desastres, surge No Olho do Furacão para mostrar o contrário. Porém, o diretor Rob Cohen decide tirar o furacão do holofote e usá-lo como pano de fundo. Será que deu certo?

Numa pequena cidade americana, dois garotos e o pai estão tentando se abrigar de um furacão. Como não é possível brigar de forma justa com um fenômeno da natureza, a família acaba perdendo. Anos mais tarde, a mesma cidade está se preparando para receber um outro desastre. Mas os habitantes estão sendo retirados do local antes que o furacão de fato os atinja. Acontece que nas proximidades existe um prédio do tesouro nacional que é responsável por receber cédulas de dinheiro antigas para descarte. E é aqui que entra o plot principal: um grande roubo.

No Olho do Furacão, cujo título original é The Hurricane Heist, gira em torno de meia dúzia de personagens onde de um lado temos o grupo que quer roubar 600 milhões de dólares e do outro aqueles que tentam impedi-los. E pretendem fazer isso com a cidade deserta e fugir com caminhões abarrotados de dinheiro bem no olho do furacão. O momento em que há uma “trégua” nos vendavais e chuva, antes do furacão voltar com força total.

Se em outros filmes do sub-gênero nós temos o fenômeno como protagonista – tal qual em Twister, por exemplo – aqui o furacão é usado como plano de fundo e até mesmo de artifício para construir a narrativa. O que não é de todo estranho. Títulos como Poseidon já fizeram isso antes. No entanto, a falha aqui reside tanto na pobreza da trama, quanto no desenvolvimento dos personagens. Fica tudo superficial demais e os sotaques sulistas não convencem. Nem um pouco.

Fora que a maneira que tratam o furacão, como algo para ser usado a favor deles, onde todos os planos dão certo, é utópico demais. Até mesmo para um filme desse sub-gênero. As calotas que voam na direção exata. O controle da intensidade do vento. O rapel na lateral do shopping. Mesmo que haja um especialista em cena, sabemos que não é possível controlar um fenômeno da natureza, portanto, a suspensão de descrença do público talvez seja deixada de lado em alguns momentos.

Embora No Olho do Furacão tente muito apresentar algo diferente, dentro de um sub-gênero bem quisto por cinéfilos, acaba por tropeçar em diversas pequenas falhas que juntas se transformam num desastre.

Ficha Técnica
Diretor: Rob Cohen
Roteiro: Scott Windhauser, Jeff Dixon
Elenco: Toby Kebbell, Maggie Grace, Ryan Kwanten, Ralph Ineson, Melissa Bolona, Ben Cross, Jamie Andrew Cutler, Christian Contreras, Jimmy Walker, Ed Birch, Moyo Akandé, James Bariscale, Erik Rondell, Mark Basnight, Keith D. Evans
Duração: 1h43min 
Estreia: 7 de junho