Share
Nova temporada de “Bordertown” é mais intimista

Nova temporada de “Bordertown” é mais intimista

Na primeira temporada de Bordertown conhecemos Kari Sorjonen. Um detetive com habilidades especiais que decide trocar a capital por uma cidade pequena. A princípio a ideia é ter mais tempo para a família. Porém, Kari não esperava que os crimes em Lappeenranta fossem tão cruéis quanto os da cidade grande. Em 10 episódios descobrimos mais sobre as tais habilidades de Kari, seus novos colegas de trabalho e também sobre a esposa e filha. Agora, Bordertown retorna com uma visão mais intimista e com enredo voltado para os rostos já conhecidos do público.

Um dos muitos ganchos deixados em aberto na 1ª temporada foi sobre Lena e sua filha Katia. A policial que até então trabalhava para um departamento secreto russo teve uma transferência forçada para Lappeenranta. Num dos episódios descobrimos que ela não era a mãe biológica de Katia e se recusava a comentar o ocorrido. Bem, o mistério foi revelado logo no começo dessa nova temporada. Tanto Lena quanto Katia tiveram destaque, para depois serem colocadas novamente como elenco de apoio a Kari e sua família. A policial foi uma grata surpresa na temporada anterior e agora a responsável pelo desfecho em aberto.

Outro ponto solto também era a relação de Janina com Elias e a família dele. O namoro entre os dois não era bem visto por Kari que temia pela segurança da filha. Afinal, mesmo sendo filho bastardo, Elias era filho de um membro da atual prefeitura de Lappeenranta e, portanto, possível alvo de inimigos. Não demorou para que os presságios de Kari estivessem certos para o desespero de Janina.

Bordertown continua com foco maior na construção da narrativa. Com episódios longos, divididos em pares, parece mais que estamos acompanhando um filme do que um série. O que torna essa série finlandesa tão inusitada dentro do catálogo de produções da Netflix. Contudo, a preocupação em desenvolver as relações da família Sorjonen acabou por prejudicar outros personagens. Essa nova temporada não soube dividir bem as cenas e tanto Kari, quanto Pauliina tiveram maior tempo e destaque na trama. O primeiro por ser o protagonista da série e a segunda por estar enfrentando um novo obstáculo.

Com isso, a mão pesou na hora de separar os momentos de tensão em investigações e as crises familiares. O conflito que era esperado para o personagem de Kari veio mas tão comedido que o espectador quase não captou. Num piscar de olhos ele estava de novo montando o seu palácio de memórias e deixando a família de lado. Talvez por isso a decisão de concentrar os dois episódios finais da temporada na casa deles. Para assim conseguir de fato construir a relação familiar que os roteiristas tinham em mente.

Ali, dentro da sua casa, no conforto do lar, Kari Sorjonen mostrou ser outra pessoa. Um homem destinado a resolver o problema em mãos como também salvar a sua família. O fim que tudo teve não saberemos, pois a temporada termina sem dar muitas respostas aos espectadores. O jeito vai ser esperar por uma próxima.

P.S.: As gravações da terceira temporada começaram em outubro de 2018 e deve ser lançada em 2020.

Ficha Técnica
Criador: Miikko Oikkonen
Roteiro: Miikko Oikkonen, Antti Pesonen, Paula Mononen
Elenco: Ville Virtanen, Matleena Kuusniemi, Anu Sinisalo, Kristiina Haltuu, Lenita Susi, Olivia Ainali, Ilkka Villi, Matti Laine, Max Bremer, Jasmin Hamid, Janne Virtanen, Elias Salonen, Johan Storgard, Laura Malmivaara, Mikko Leppilampi, Niina Nurminen 
Duração: 10 episódios