Share
“O Doutrinador” dos quadrinhos para as telonas

“O Doutrinador” dos quadrinhos para as telonas

Em 2013, o designer gráfico Luciano Cunha, lançou semanalmente no Facebook as páginas de seu inovador quadrinho: O Doutrinador. Um anti-herói. Uma espécie de Justiceiro brasileiro, que caçava e executava políticos corruptos.

Ao longo dos anos, O Doutrinador virou um legado ganhando mais volumes e a adaptação em live action chega agora aos cinemas de todo o Brasil.

No cenário temos um grupo de políticos corruptos de todos os tipos, juntos em seus esquemas de desvio de verba, enquanto o povo sofre as consequências. Soa familiar não é mesmo?

Miguel (Kiko Pissolato) é um agente do D.A.E., inconformado com o fato de que todo seu trabalho duro é inútil. Ainda mais quando o Governador Sérgio Correa é preso acusado de esquema de corrupção e mesmo assim acaba sendo solto. Mais do que nunca o agente sente na própria pele os efeitos de tanta corrupção e escolhe dar um basta. Nasce assim O Doutrinador.

A história não apenas permanece atual, como o Doutrinador é um perfeito reflexo do nosso cenário político atual, onde o povo sofre nas mãos de políticos corruptos e por falta de medidas, acaba desejando fazer justiça com as próprias mãos. Admito que fazia tempo que eu não via um filme brasileiro que tenha me feito sair do cinema querendo que todo mundo o visse também.

 

Igual, mas diferente

Graças à um amigo que me emprestou o quadrinho original, pude conhecer a história antes de assistir o filme e posso garantir que os fãs não vão ficar decepcionados. Com o próprio criador por trás do roteiro, não poderíamos esperar outra coisa.

Cuidado, possíveis spoilers abaixo.

A adaptação para o cinema trouxe mais profundidade à história do quadrinho. O personagem é outro, sim. Mas mantém toda a essência do Doutrinador original.

Diferente do quadrinho seu antagonista não é um vilão propriamente dito. É Edu, seu melhor amigo, outro agente da D.A.E. que acredita que faze o bem para as pessoas.

Outra diferença é que ele não trabalha sozinho. No filme, Miguel conta com a ajuda de Nina, uma hacker disposta a libertar sua mãe presa injustamente.

Tudo do quadrinho está lá no filme de uma forma ou de outra. E sim, a cena que você que leu e esperava ver na tela está lá também. Foi difícil de acreditar que iria aparecer.

Ficha Técnica
Direção: Fabio Mendonça, Gustavo Bonafé
Roteiro: Luciano Cunha
Elenco: Carlos Betão, Eduardo Chagas, Eduardo Moscovis, Eucir de Souza, Helena Ranaldi, Kiko Pissolato, Lucy Ramos, Marília Gabriela, Natália Lage, Nicolas Trevijano, Ricardo Dantas, Samuel de Assis, Tainá Medina, Tuca Andrada
Duração: 120 minutos
Estreia: 1º de novembro