Share
“Obsessão Secreta” mas nem tanto

“Obsessão Secreta” mas nem tanto

Colocado em catálogo no dia 18 Julho de 2019, Obsessão Secreta é um original de suspense com viés de thriller psicológico da plataforma de streaming Netflix. O filme já inicia com a clássica cena de uma jovem mulher fugindo desesperadamente na chuva e agindo de forma questionável e óbvia, graças ao seu desespero. Em contrapartida, mais uma cena clichê nos é apresentada: flashes de um homem “misterioso” a perseguindo. Nesse contexto, fecha com “chave de ouro” com um atropelamento da mocinha citada acima. Ela acorda no dia seguinte em um hospital com lesões que lhe causaram perda de memória recente, uma perna quebrada e alguns outros roxos que não nos é explicado o grau de profundidade.

Jennifer, a personagem principal, é interpretada pela conhecida dos fãs do antigo Disney Channel, Brenda Song (Zack & Cody). A única enfermeira chefe presente no hospital afirma que ela não vai se lembrar dos acontecimentos mais recentes. Nem mesmo do seu casamento com Russel, que se mantém paciente ao seu lado. O marido ajuda na recuperação, mostra fotos dos dois juntos e conta fatos para ajudá-la a se lembrar. Enquanto essas situações são encenadas, temos vislumbres de momentos felizes do casal no hospital e fora dele antes do suposto acidente. Porém, como estamos falando de um acidente de origem desconhecida é claro que não faltaria o elenco da polícia, para investigar o ocorrido.

A figura poderosa do ator Dennis Haysbert como detetive Frank Page logo de primeira nos faz lembrar o Senador Palmer, da série 24 Horas. No decorrer do filme é revelado o quão inútil seu personagem é, mesmo sendo um ator de ponta. Sinceramente, não é possível saber o que se passou na cabeça do diretor-escritor Peter Sullivan para elaborar um roteiro tão cheio de falhas. O que nos leva a entender Obsessão Secreta de uma vez só, assim que ele começa.

Claro, isso para os que não assistiram o trailer. Uma vez que na própria opção de prévia disponibilizada pela Netflix, já é possível sacar tudo que vai ocorrer ao longo de Obsessão Secreta.

A questão toda é que Russel não faz o menor sentido. Desde a sua perseguição, nem as formas que escolhia as vitimas e muito menos o seu péssimo trabalho no Photoshop. Esse, senhoras e senhores, foi o grande estopim para que a memória fragmentada de Jennifer fosse reativada. Sobre a direção de arte, a única coisa que salva foi a casa utilizada na maior parte do filme. Além de ser muito bonita, fez com que o público ficasse aflito, graças ao senso de segurança, em especial toda vez que a protagonista subia e descia as escadas com o pé torcido.

Em resumo, Obsessão Secreta é mais um que se encaixa no hall de bolas fora de produções independentes da Netflix. Mas, continuamos desejando que futuramente a Jennifer encontre alguém melhor. Nem que seja pelo Tinder.

FICHA TÉCNICA
Diretor: Peter Sullivan 
Roteiro: Peter Sullivan, Kraig Wenman
Elenco: Brenda Song, Mike Vogel, Dennis Haysbert, Ashely Scott, Paul Sloan, Daniel Booko, Scott Peat, Blair Hickey, Michael Patrick McGill, Casey Leach, Jim Hanna, Ciarra Carter, Eric Etebari, Kati Salowsky, Jennifer Peo
Duração: 1h37min