Share
OnBox: “13 Reasons Why” expõe assuntos polêmicos da adolescência

OnBox: “13 Reasons Why” expõe assuntos polêmicos da adolescência

Mentiras, abuso, estupro, falsidade, drogas, alcoolismo, machismo, bullying são temas que querendo ou não ultimamente permeiam o mundo adolescente e que foi muito bem adaptado pela Netflix em 13 Reasons Why.

Num dia qualquer Clay (Dylan Minnette) recebe uma caixa de sapatos contendo fitas cassete e não faz a menor ideia de como isso foi parar na porta da sua casa ou mesmo quem colocou ali. Ao começar a ouvir a primeira fita reconhece a voz da pessoa de imediato: é Hannah Baker (Katherine Langford), uma colega de escola, com quem trabalhou no cinema local e que recentemente havia se suicidado. Logo, as fitas vão ajudar Clay a entender melhor o que se passava na cabeça da garota quando decidiu fazer o que fez, também a preencher algumas lacunas que não fazia ideia que existiam e que envolve outras pessoas com quem cruza diariamente nos corredores da Liberty High.

Cada um dos assuntos listados no início está diretamente conectado a um personagem da série. Hannah é a garota nova na cidade que em pouquíssimo tempo tem sua reputação manchada por conta de um machismo escancarado e que infelizmente, é muito comum entre os garotos. Justin Foley (Brandon Flynn) o rapaz que provocou isso prefere que seus amigos acreditem que ele é o pegador do que contar a verdade, colocando em movimento a espiral de problemas em torno de Hannah. A partir disso a credibilidade da garota começa a diminuir mais e mais ao passo que esses ataques se tornam mais frequentes e mais diretos. Afinal, como o grupo de amigos é sempre o mesmo, aquele monte de estereótipos ambulantes (a popular, a cheerleader, o presidente do clube de honra, o capitão do time, o atleta promissor e por aí vai) a mentira contada tantas vezes acaba se transformando em verdade. Qual o problema em abusar dessa menina se meu amigo disse que ela é fácil? Quem ela pensa que é para me dar um fora se fez sexo oral no naquele cara? Que mal tem em colocar mais uma mentira na conta dela e limpar a minha barra? Por que não posso fazer piada dela se todo mundo faz? Qual o sentido em ser amiga dela se todo mundo vai pensar que sou igual a ela?

Em função de tantos personagens detendo pedaços diferentes da trama que a série procurou ter um cuidado especial com a montagem, edição e fotografia que são o trunfo do show. Tendo em vista que não estamos lidando com uma cronologia linear e existe essa necessidade de ir e voltar no tempo, utilizou-se técnicas simples, porém bastante eficazes do filtros de cores. Assim, fica mais fácil para o espectador entender quando estamos no tempo presente e quando voltamos ao passado para desvendar mais uma peça desse quebra-cabeça simplesmente usando uma coloração diferente na cena.

13 Reasons Why é uma série pesada e que transita por assuntos que são bem delicados, em especial ao deixar claro no primeiro episódio que a protagonista se matou por causa deles. Logo, faz o espectador sofrer mais ao criar uma conexão imediata com a Hannah e com o próprio Clay que acaba virando uma espécie de projeção nossa caso estivéssemos inseridos nessa história. Ao passo que ele vai ouvindo as fitas nos dando uma noção mais concreta do que aconteceu com a garota, fica claro o quão intensa é a série e como adolescentes podem ser bem cruéis quando querem. Uma fase estranha na vida de qualquer pessoa porque não podem mais ser considerados crianças e tampouco podem ser classificados como adultos, o que parece um salvo conduto para os personagens e uma maneira de tentarem fugir das responsabilidades de seus atos. O que só ocorre, em parte, por conta do descaso de alguns pais que não enxergam quem os filhos são realmente, mas quem eles gostariam de acreditar que são.

O seriado foi adaptado do livro homônimo escrito por Jay Asher e consegue melhorar algumas falhas da obra como por exemplo envolver os adultos na trama criando assim não apenas um elemento de embate (o processo) entre todos aqueles que estiveram envolvidos na vida de Hannah, como também uma aura de mistério, duas coisas que fizeram falta no livro, todavia, é preciso salientar que tem uma narrativa muito mais direta e que por certo não funcionaria para a série.

13 Reasons Why pode ser visto como entretenimento que ensina, algo que uma certa novelinha global tinha como intuito mas há muito deixou de cumprir esse papel. Ao abordar assuntos polêmicos e que são pertinentes na vida de adolescentes e até mesmo de adultos, gerou uma brecha para que, quem sabe, pais e filhos possam dialogar sobre como deveria ser.