Share
Os 7 pontos importantes em “The Dragon and The Wolf”

Os 7 pontos importantes em “The Dragon and The Wolf”

Dizem que 7 é um número cabalístico (?). Sete cores do arco íris, enfim. Ontem terminou a 7ª temporada de Game of Thrones bem no episódio de número 7. Por isso, aqui vão 7 pontos importantes que o episódio nos mostrou.

Depois de anos e mais anos especulando sobre as teorias acerca dos personagens da série, o episódio de ontem serviu para comprovar várias delas e deixar outras em suspenso. Mesmo que o show esteja seguindo um rumo bem diferente dos livros, todavia, existem conexões que não podemos ignorar. Creio que nem os produtores conseguiriam tal proeza.

1 – A MATILHA SEGUE EM FRENTE

Ainda que Ned e Catelyn Stark não estejam mais vivos para guiar seus filhos, podem sentir orgulho daqueles que sobreviveram. Seguindo o exemplo dos pais, os três se uniram para colocar ordem na casa. O sangue fala mais alto. Seria o uivo nesse caso? Não sei.

Após uma longa jornada individual para Arya, Bran e Sansa, conseguiram ganhar sabedoria o suficiente para prosperar em Winterfell. Juntos derrubaram o astucioso Littlefinger em seu próprio jogo e de quebra mostraram a todos os aliados do Norte que estão de volta no pedaço. E com um Bran meio aéreo por conta do Corvo de 3 Olhos, sobrou para as irmãs assumirem os papéis principais.

É nítido como Arya representa bem o Ned, enquanto a Sansa faz as vezes de Catelyn. Não apenas pela semelhança, nem estilo do penteado, mas sim pelas ações. Elas se completam como acontecia com os pais, que eram muito diferentes um do outro, mas se amavam e se respeitavam. E a cena final das duas em Winterfell recitando velhos dizeres do pai representa muito para o futuro do Norte. Como as coisas vão ser conduzidas daqui para frente e a força que ganharam entre os aliados sem necessitar de ajuda externa. Creio que o Jon vai ficar orgulhoso delas. Quem não está?

2 – O REAL SUCESSOR DO TRONO DE FERRO

Se tem uma teoria que povoa a internet desde, sei lá, a terceira ou quarta temporada da série é sobre os pais verdadeiros do Jon Snow. Conhecido desde sempre como um filho bastardo do Ned Stark, quem iria imaginar que aquela teoria se provaria verdadeira? E ainda mais, canônica? Pois é!

Esta confirmação veio do próprio autor George R.R. Martin que disse que A Song of Ice and Fire gira em torno da relação do Jon e Daenerys. Agora, como vai ser essa relação é que não sabemos. Ao final da temporada vimos que os dois sucumbiram a paixão que veio crescendo ao longo dos episódios. Como sabemos, incesto é uma prática comum entre os Targaryens, desde sempre, para dar continuidade a linhagem e também porque ficaria mais fácil de controlar os dragões que só obedecem a quem possui o sangue deles.

"I remember when I was doing Season 1 and we were on location in Malta, and George R. R. Martin came to visit. He was sitting in a chair, and he was being really quite open about things that were to come," Taylor told Deadline. "... he alluded to the fact that Jon and Dany were the point, kind of. That, at the time, there was a huge, vast array of characters, and Jon was a lowly, you know, bastard son. So it wasn’t clear to us at the time, but he did sort of say things that made it clear that the meeting and the convergence of Jon and Dany were sort of the point of the series."

Agora, um outro ponto aqui, é que Jon se curvou perante à Daenerys como sua Rainha. Só que na realidade, é ele o legítimo sucessor do trono de ferro sendo filho do Rhaegar, irmão mais velho da Daenerys. Como isso vai funcionar a hora que descobrirem a verdade? Jon vai abrir mão do seu direito para a tia? Vão entrar num acordo? Ou vão surgir pessoas de ambos os lados inflamando-os para mais uma guerra?

3 – O TRAIDOR ENTRE NÓS

Pegando gancho no que citei lá em cima, das conexões com o livro, temos a profecia que Daenerys ouviu de que ela seria traída três vezes. Uma por sangue. Uma por ouro. Uma por amor. Nesse ponto as coisas complicam um pouco porque existem diferentes teorias para quais ações se aplicam a quais traições. Até mesmo se a Daenerys seria traída ou se seria ela a traidora.

De todo modo, a internet concorda que as duas primeiras opções já foram. Ela traiu o irmão Viserys em favor de si mesma e depois atacou Meeren por causa do ouro. Ela também sofreu uma traição da bruxa, perdendo o Kahl Drogo e seu filho, levando-a a criar os dragões. Também foi traída pelo próprio irmão que a vendeu aos Dothraki para ter um exército, então, fica tudo em casa. Logo, sobrou a traição por amor levando a 3 pessoas: a própria, Jon e Tyrion. Mas, vou focar no último.

Não sabemos o que Tyrion conversou entre quatro paredes com Cersei. Vimos apenas a Rainha voltando e mentindo sobre ajuda-los nessa Grande Guerra. Existem suspeitas, de acordo com a própria fala de Tyrion, de que ele não quer ver sua família arruinada. E que é possível que vá trair a Daenerys no futuro para salvar o que restou do Lannister, ainda mais com sua irmã grávida. Tyrion é bem enfático quando diz “que precisamos mentir um pouco as vezes” e ele não parece estar acertando uma tática desde que começou a temporada como a Mão da Rainha.

Foi a ideia dele de capturar um caminhante branco que levou Viseryion à morte. Foi a ideia dele de atacar Casterly Rock que levou à ruína da Olenna e da Casa Tyrell, além da captura de Yara e a destruição da frota dos Greyjoy. Logo, estaria ele errando de propósito ou é só um péssimo conselheiro?

E aquele olhar preocupado ao ver o Jon entrando nos aposentos da Daenerys? O que estaria se passando em sua cabeça? Será que o fortalecimento da aliança entre Stark e Targaryen ou Targaryen/Targaryen poria seus planos em risco?

4 – A RUPTURA FINAL

É possível afirmar que Jaime não é o mais esperto dos irmãos, porém, é o mais íntegro. Realmente acreditou que a Cersei faria a coisa certa. Não. Pior. Ele acreditou na palavra dela. Mais uma vez. E quando ela lhe disse um grande e belo “dane-se” que eles se matem entre eles e a gente resolve depois com o que sobrar, foi o que ele precisava para acordar e ver que a irmã e amante não é quem pensava que fosse. Ou quem ele queria.

Isso porque os dois são unha e carne desde a primeira temporada. Entretanto, creio que a jornada pela qual Jaime passou fez com que se tornasse mais caridoso, enquanto a irmã ficou ainda mais taciturna. Desde o momento da sua volta, depois de ser capturado, perder a mão e afins, notava-se um estranhamento entre eles. E tudo ficou mais claro agora. Jaime não consegue mais aceitar as sandices da irmã e sabe que ela não serve para Rainha. Creio que ela também saiba disso, mas melhor morrer negando do que confirmar inaptidão.

Cersei está totalmente entregue à própria sorte e sem ninguém de confiança por perto. Chegou a hora da teoria de que ela encarnaria o Rei Louco ser posta à prova. Já que o irmão era a única pessoa que lhe passava um pouco de sanidade, sem ele por perto, não tem quem lhe dê juízo. Quem iria se atrever?

E para onde será que Jaime vai correr? Vai ficar vagando por Westeros ou pedir auxílio ao Tyrion? Porque não pode nem pensar em pisar em Winterfell e duvido muito que a Daenerys aceitaria o homem que matou o pai em sua corte. Complicado.

5 – A COMPANHIA DOURADA E UM ANTIGO ALIADO

Ainda falando da Cersei, ela trouxe uma informação valiosa e que novamente tem conexão nos livros. Ao conversar com o irmão sobre o poder do ouro e que ele nunca prestou atenção nas explicações do pai, cita a Companhia Dourada. Esse grupo de ditos mercenários é formado por membros da antiga casa Blackfire que sofreu uma terrível baixa na guerra dos Ninepenny Kings.

A princípio eles eram aliados da casa Targaryen, mas tentaram retirar o Aegon V. do poder e foram massacrados. Os sobreviventes decidiram permanecer em Braavos e criar essa companhia que age motivada por dinheiro. Pagando bem, que mal tem?

E a querida Cersei Lannister, talvez não tendo total conhecimento disso, ou tendo, vai saber, pretende trazer essa companhia para lutar a favor dela e contra o Norte e a Daenerys. Será que os antigos membros da casa Blackfire vão estar sedentos por vingança e querer destruir de vez os Targaryen? Ou vão tentar aplicar um golpe e Cersei e tomar o trono de ferro como era o planejado?

6 – NÃO TEM BOLO, MAS TEM CASAMENTO

Parece que o Sam só ouvi a Gilly fora das câmeras mesmo. Porque aquela conversa com o Bran deu nos nervos. De qualquer forma, a cena do casamento do Rhaegar com a Lyanna provou apenas que Game of Thrones é uma grande novela. E não acho que isso seja ruim, mas, grande parte das ações dos personagens gira em torno do amor, seja ele correspondido ou não.

Toda a ideia de retirar o Rei Louco do poder foi porque o Robert Baratheon estava prometido para a Lyanna e achou que ela havia sido raptada e estuprada pelo Rhaegar. Quando na verdade, eles optaram em fugir juntos, por amor. Só que ele não sabendo disso – ou não querendo enxergar, nunca saberemos – decide que é mais do que hora de tirar o Targaryen do poder. Mas com que exército? Ora, vou criar uma aliança com o Lannister. Me torno Rei, desposo Cersei Lannister e em troca eles me ajudam a derrubar o Rei Louco. Foi isso mesmo que eles fizeram.

No fim, prevalece que o amor é a arma mais poderosa de Westeros e não a vingança ou cobiça. Esse mesmo sentimento que leva o Ned a guardar por tantos anos o segredo da irmã, sem nunca contar para ninguém. Nem para a esposa e nem mesmo para o próprio Jon. Sei lá, deixasse uma carta. Enfim. O amor reina em Westeros. Quem diria?

7 – O ADEUS A MURALHA

Muitos morreram defendendo-a mas no final, ela sucumbiu. Bem, ao menos uma boa parte. Montado num Viseryion de gelo o Rei da Noite abriu passagem para que sua horda de Caminhantes Brancos cruzasse em direção ao Sul. Mas onde é a primeira parada? Exato, o Norte! E como a Daenerys e o Jon decidiram ir para lá? Exato, de barco!

Há boas chances de que eles cheguem junto com o grupo de mortos-vivos, isso se não acontecer nada de extraordinário no meio da história.

Tampouco sabemos se Tormund e Dondarion sobreviveram, mas ei, se não mostrou o corpo, eles estão vivos. Certo? Acho que essa regra só não se aplica ao Jon. Continuando.

O Bran parece estar guardando mais segredos do que o necessário ou sente que não deve interromper o curso das coisas depois do que aconteceu ao Hodor. Peso na consciência? Ou a certeza de que os eventos tem que correr em sua ordem natural e ele só precisa estar ali para presenciar tudo e viver para passar a outra pessoa depois?

Creio que com a chegada do Sam, os dois vão se unir e resolver bastante coisa. Não acho que o Sam possa ser o próximo sucessor como Corvo de 3 Olhos, mas sim, um excelente aliado para decifrar partes da história, estratégias e qual melhor curso a seguir. A não ser que ele se irrite, roube mais um item em Winterfell (o Bran?) e saia correndo.

Tal acontecimento estava previsto. Ao menos os fãs e leitores tinham teorizado que a muralha iria sucumbir. Em especial depois que o Bran permitiu que o Rei da Noite encostasse nele. Levando a mais uma outra série de teorias que cheguei a comentar num outro post.

O jeito agora é esperar para saber a conclusão da série quando retornar talvez em 2019. Não há nenhuma data marcada para começo das gravações e com isso, nada de possível data de estreia. E quanto a nós? Só resta criar mais teorias para ocupar o tempo.