Share
Premiere: “Outcast” não é o que parece e isso é bom

Premiere: “Outcast” não é o que parece e isso é bom

Para os fãs de The Walking Dead o nome Robert Kirkman significa muita coisa. Afinal, ele é o roteirista dos quadrinhos, além de responsável por levar a série para a televisão que tem ganhado cada vez mais seguidores desde a sua estreia. Só que dessa vez Kirkman está caminhando em outro terreno, o da possessão.

Outcast estreou no canal FOX nesse Domingo e não é nem de longe o que parece, o que acaba sendo muito bom para nós.

A introdução do seriado é bem forte e dita o tom do que vai vir a seguir. O que nos prova que Kirkman não terá medo de se aprofundar no assunto, que é baseado no quadrinho lançado em 2014 e também criado por ele. Kyle Barnes é o personagem principal e condutor da trama que volta para a sua cidade natal depois de muito tempo longe e prefere ficar isolado em sua antiga casa do que conviver com o mundo. O ambiente não é dos melhores e lhe trás péssimas lembranças de infância, ainda assim, Kyle não quer sair dali. A única pessoa que tem poder suficiente para tira-lo da casa é Megan, sua irmã adotiva e ele logo descobre sobre estranhos eventos que andam acontecendo com as crianças na cidade. Eventos esses que muito se assemelham ao que ele sofreu com a mãe na infância: possessão demoníaca.

Outcast-scene1

Se você leu até aqui e algo como o filme O Exorcista lhe vem a mente, não está errado. Contudo, Kirkman aborda o tema utilizando outros fatores místicos atrelados ao personagem principal e que não ficam claros nesse primeiro episódio. Kyle é chamado de outcast, traduzido como ‘excomungado’, alguém a quem os demônios sempre procuram e isso não é bem explicado. O que faz todo sentido já que nós como espectadores estamos participando da trama sob o ponto de vista do Kyle e se ele não sabe de nada, nós também não, e esse tipo de narrativa condiz com a temática do horror proposto pela série. O cenário escolhido, em especial porque é terreno familiar para o autor, contribui para que exista uma imersão rápida do espectador na trama. Aqueles velhos clichês de cidade pequena, no interior do estado, aquele clima de comunidade, mas sem o senso da mesma, onde todos se metem na sua vida e quase ninguém ajuda. Deu para entender o espírito da coisa não é?

O episódio piloto intitulado A Darkness Surrounds Him é bem parecido com a primeira edição da história em quadrinho, simulando inclusive os mesmo diálogos com leves modificações a fim de causar um impacto maior na série. Atualmente existem 18 edições publicadas e foi escrita por Robert  Kirkman, ilustrada por Paul Azaceta e é distribuída pelo selo Image Comics tal qual The Walking Dead.

landscape-1461595111-outcast-kyle-barnes-reverend

O autor defende sua ideia dizendo que bem diferente de um apocalipse zumbi, que está a léguas de acontecer, a possessão é algo possível, inclusive já foi comprovada e que todos deveriam temer de alguma forma. Ainda deixa claro que não está levantando nenhuma bandeira religiosa e apenas acha o tema interessante e por isso decidiu criar uma nova série em quadrinhos e que está sendo agora produzida pelo canal FOX.

Outcast tem Patrick Fugit como personagem principal e vai ao ar todo Domingo às 23h no canal FOX.