Share
Premiere: “Second Chance” diverte, mas dificilmente vai para frente

Premiere: “Second Chance” diverte, mas dificilmente vai para frente

O seriado Second Chance foi uma das estreias anunciadas no semestre passado e que chegou recentemente ao canal FOX (ainda sem previsão por aqui) e tem recebido duras críticas da mídia.

O personagem principal é como se fosse o monstro do doutor Frankenstein moderno que é trazido de volta à vida por possuir um tipo específico de células que ajudariam no tratamento de câncer da empresária Mary Goodwin (Dilshad Vadsaria). O projeto foi arquitetado pelo seu introspectivo irmão, Otto (Adhir Kalyan), que é o gênio por trás da empresa, mas quase não aparece ou concede entrevistas. Tendo sido somente os dois unidos por um bom tempo, ele decide criar esse projeto para não perder a irmã. Só não contava que Jimmy Pritchard (Robert Kazinsky), o tal “monstro”, fosse ser mais difícil de controlar, já que ele foi policial e xerife por muitos anos e não perdeu a veia investigativa, nem a vontade de fazer justiça.

secondchance

Second Chance fica no meio entre ser dramática demais, cafona demais e ficção cientifica demais. Ainda assim, tem algo que faz com que continuemos a assistir para saber o que vai acontecer a seguir, pois sendo um plot absurdo de “vida após a morte”, aceitamos o que nos apresentam e esperamos o próximo capítulo pacientemente. Todavia, há algo no enredo que não encaixa e deixa a trama inteira frágil. Jimmy voltou à vida, anos mais jovem e bem mais forte e saudável. Seu filho Duval (Tim DeKay) é o oposto do pai. Um agente do FBI certinho e que logo no primeiro episódio se vê numa rede de traidores dentro da própria agência. Os dois nunca se deram bem e a única parte verídica da série até o momento é demonstrar que dificilmente o ser humano muda sua essência. Jimmy ganhou uma nova chance, porém, continua agindo da mesma forma, com mínimas mudanças de comportamento. O mesmo pode ser dito do filho que carrega uma mágoa enorme dentro de si acerca do seu péssimo relacionamento com o pai e quando a vida os coloca cara a cara novamente, nada acontece. Na verdade, eles continuam se bicando como antes, ainda mais agora que Jimmy está se passando por um filho bastardo que não chegou a apresentar aos legítimos. Confusão a vista.

É possível dizer que não dá para prever o futuro do seriado com apenas dois episódios. Entretanto, o caminhar do enredo sugere que exista alguns buracos que precisam ser preenchidos e que se não for feito da forma correta, colocará em risco o futuro do seriado.