Share
“Projeto Gemini” não é isso tudo

“Projeto Gemini” não é isso tudo

Projeto Gemini é um filme que Hollywood tenta tirar do papel há quase 20 anos. Vários diretores e atores já passaram pelo projeto. Assim como vários roteiristas também já passaram por esse projeto e isso, infelizmente, fica bem visível no roteiro. A história é uma aventura futurística que cabe facilmente em qualquer filme da sessão da tarde. Mas, isso não é um demérito em si para o filme. E sim pela expectativa que não é alcançada tendo um orçamento de 120 milhões de dólares e atores de prestígio no elenco.

Will Smith é um agente do governo que quer se aposentar. Porém, acaba descobrindo uma trama interna arquitetada por seus superior e com isso, vira alvo do único que encontraram disponível que é capaz de lhe matar: o seu próprio clone.

Projeto Gemini é dirigido por Ang Lee, mas, ele não parece ter se dedicado tanto quanto em seus outros filmes. A fotografia é bonita, utilizando quadros abertos e paisagens. Todavia, não surpreende, mesmo usando uma tecnologia imersiva em 3D. Na verdade, isso até atrapalha em alguns momentos. Acaba por tirar a atenção do que está se desenrolando em cena. E dá a impressão daquelas imagens utilizadas para vender aparelhos de televisão.

Somado a isso, temos a tecnologia inovadora de rejuvenescimento, que foi bastante utilizada em filmes da Marvel Studios. Aqui, ela oscila bastante em termos de qualidade e aplicação. Hora consegue surpreender o espectador, hora parece que faltou verba na finalização.

Além de Will Smith temos ainda a atriz Mary Elizabeth Winstead, que é usada apenas como a mocinha que deve ser salva. Clive Owen como o clássico vilão corporativista e Benedict Wong como antigo companheiro de guerra de Smith. Nenhum deles realmente tem uma grande participação ou importância dentro da história, que no final não é muito interessante nem original.

O elenco é desperdiçado. Não nos importamos com nenhum deles. E apesar de terem boas atuações, não tem arcos individuais, entram em cena do nada e são apenas pontes para justificar as ações do protagonista. A única coisa que é explorada, de forma superficial, é o drama em torno da existência do clone. Mas, mesmo isso, é deveras mal trabalhado.

Projeto Gemini lembra outros títulos como Soldado Universal, Duplo Impacto ou até Sexto Dia. Parece um filme do Van Dame com cenas de luta que levam para a próxima cena de luta que levam para a próxima cena de luta. E, no meio dessas cenas, uma tentativa de drama e o mistério, que não chega a ser tão misterioso assim.

No entanto, o longa consegue ser divertido, se não esperar muito dele. Agora, se for esperando um grande filme de ação, por causa do elenco e diretor, talvez se decepcione um pouco. Afinal, depois de ter um roteiro passado por tantas mãos e anos de tentativas para tornar esse filme real, deixou a desejar. A tecnologia é inovadora, contudo, não consegue salvar Projeto Gemini. Talvez, um dia, reveja esse filme. Numa tarde ociosa de domingo.

FICHA TÉCNICA
Direção: Ang Lee
Roteiro: David Benioff, Billy Ray, Darren Lemke
Elenco: Will Smith, Mary Elizabeth Winstead, Clive Owen, Benedict Wong, Douglas Hodge, Ralph Brown, Linda Emond, Ilia Volok, E.J Bonilla, Victor Hugo, David Shae, Theodora Miranne, Diego Adonye, Lilla Banak, Igor Szasz
Duração: 1h57min 
Estreia: 10 de outubro