Share
Review: “Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)

Review: “Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)

Existe um mal recorrente em Hollywood que acaba levando bons atores a não mais conseguir papéis de peso para atuar e assim, se veem presos numa rede constante de péssimas produções que de pouco em pouco, ou de filme em filme, vai levando a carreira deles para o ralo.

Seria possível citar uma infinidade de atores que se encontram ou já estiveram nessa situação, mas, aqui no momento apenas um importa: Michael Keaton.

O ator veterano teve seu boom na carreira lá em meados dos anos 80 quando protagonizou diversas comédias como Os Fantasmas Se Divertem e encarnou o primeiro Batman em 1989 dirigido por Tim Burton. No entanto, aos poucos, o ator foi sumindo das telonas e passou a fazer papéis considerados menores como A Filha do Presidente, Herbie, Meu Fusca Turbinado e mais recentemente, a nova versão de RoboCop. Dessa forma, ficou bem difícil, diria até quase impossível para que Keaton conseguisse se redimir perante o público. Felizmente, sua redenção chegou através do papel de Riggan Thomson criado exclusivamente para ele por Alejandro Gonzáles Iñarritú.

Em Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância) Riggan é um ator decadente que se vê preso a um único papel de sucesso: o de Birdman, um herói que interpretou em uma trilogia de enorme sucesso.

birdman-movie-keaton-norton

Agora, louco para se ver livre de tal papel ele decide montar uma peça de teatro baseada em um livro pelo qual tem muita estima. Porém, um ator que ele havia contratado sofre um acidente e precisa ser substituído. Lesley (Naomi Watts) sua colega de peça informa que Mike (Edward Norton) um ator famoso, mas bastante problemático, está disponível e que teria se interessado pelo papel. Nos ensaios Mike demonstra uma certa resistência quanto as direções que lhe dá Riggan e é o suficiente para dar início a um embate de egos entre os dois, pois ambos possuem visões bem diferentes da profissão. Por outro lado, Riggan também está enfrentando uma batalha pessoal ao ter dificuldades de compreender e aceitar sua atual situação profissional e claro, além do medo de que a peça seja um fracasso e ele perca todo o dinheiro que investiu indo assim a falência. Conforme os problemas vão se agravando ele passa a ouvir a voz do Birdman em sua mente e até mesmo a ter intensos diálogos com seu outrora super herói. Tais conversas levarão Riggan a atitudes radicais e que pode arruinar de vez sua carreira ou levá-la para as nuvens.

Para um longa que foi construído em apenas duas tomadas, sem grandes cortes ou maiores edições, Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)  pode ser considerado uma verdadeira obra prima da sétima arte. O que para alguns pode parecer estranho ou mesmo enfadonho, é na verdade uma aula de cinema e que requer muito mais dedicação dos atores que não tem chance de refazer as cenas. Com isso acabou rendendo grandes atuações e diálogos simplesmente incríveis. Edward Norton construiu um excelente contraponto com Keaton e juntos garantem as melhores cenas do filme. Emma Stone que faz a filha de Riggan tem seus méritos e consegue fugir aos papéis rotineiros de sua carreira.

Contudo, pertence a Michael Keaton o segredo do filme, especialmente com o final deixado em aberto. Teria ele se tornado o Birdman ou apenas se libertado de vez das amarras as quais só ele poderia soltar os nós? Resta a cada um a própria interpretação.