Share
Review: “Cinderella”

Review: “Cinderella”

A menina que nunca sonhou em ser uma princesa que atire a primeira pedra! Não custa nada sonhar, certo? E para trazer um de seus contos mais famosos à vida, eis que os Estúdios Disney trazem essa incrível versão live action de Cinderella.

Apostando agora em filmes com atores reais como aconteceu com Malévola, a produção traz uma nova versão do conto de Charles Perrault com elementos clássicos da animação de 1950.

Logo antes do filme começar, a diversão já está garantida com o curta de Frozen: Febre Congelante. Elsa, Kristoff, Olaf e Sven estão preparando uma festa de aniversário surpresa para Anna. O que eles não contavam era com um resfriado que pega Elsa de surpresa! A nova aventura tem apenas 6 minutos, mas já é o suficiente para deixar os fãs animados!

Ao começar o longa, conhecemos Ella (Lily James), uma bela menina que vive feliz com sua família e vê o mundo de um jeito especial, acreditando que a magia está sempre presente. Infelizmente, sua mãe fica muito doente e antes de falecer, faz com que Ella prometa ser sempre corajosa e gentil. É interessante a forma como mostram a infância da personagem e a relação com sua família, algo que não foi explorado na animação.

cinder2

O tempo passa e o pai de Ella resolve se casar novamente. Sua madrasta e suas duas meia irmãs chegam para mudar sua vida para sempre. Em uma de suas viagens, o pai acaba falecendo e Ella começa a ser tratada como empregada/escrava por sua nova família. Ela faz de tudo para ser gentil, mas sofre com o tipo de vida que está levando. A medida em que a história se desenrola, a magia acaba ajudando e a coragem faz com que Ella viva um verdadeiro sonho ao dançar com o príncipe no dia do baile. A história que todos conhecem ainda está lá, nada foi mudado.

O toque especial vai para as atuações fantásticas do elenco de peso que conta com Cate Blanchett como a madrasta malvada, Helena Bonham Carter como a atrapalhada Fada Madrinha e Lily James como Cinderella.

Além disso, cada elemento foi feito com muito cuidado. A responsabilidade de carregar o legado de Cinderela foi grande, mas é dificil não se envolver ou não se encantar com a forma como a história foi contada pelo diretor Kenneth Branagh.

Nostalgia é a palavra! Um filme leve e surpreendente que traz de volta aquela sensação mágica que você sentia quando assistia uma animação Disney em VHS na infância.