Share
Review: “Foxcatcher – A História Que Chocou o Mundo”

Review: “Foxcatcher – A História Que Chocou o Mundo”

Grande parte dos filmes que estão estreando nesse início do ano e que são candidatos ao Oscar tratam-se de cinebiografias, ou seja, filmes que são inspirados em histórias de figuras reais.

Foxcatcher – A História Que Chocou o Mundo narra uma parte da vida dos irmãos Schultz, Mark e David interpretados por Channing Tatum e Mark Ruffalo respectivamente, que foram lutadores profissionais e atletas olímpicos. Mark que sempre foi mais introspectivo e dependia bastante da assistência do irmão, tanto na vida pessoal quanto como treinador, vê na oportunidade oferecida por John Du Pont um milionário excêntrico, vivido por Steve Carrell, a chance de finalmente sair da sombra do irmão e conseguir um holofote só para si.

Contudo, a personalidade forte de John e sua necessidade em ter um amigo acaba minando aos poucos a confiança de Mark como atleta e também treinador, já que John passa a ser cada vez mais incisivo e manipulador. Querendo tornar seu time o melhor dos Estados Unidos, decide que é hora de trazer David para a equipe, apesar dele ter relutado bastante a princípio quando Mark o convidou e é esse o estopim para que Mark fique cada vez mais enclausurado em seu chalé e não mais participe dos treinamentos, fazendo com que seu rendimento caia de forma vertiginosa e assuste seu próprio irmão. Percebendo que está de fora desse time, John tentará de todos os jeitos controlar David da mesma forma que Mark, no entanto, ele não é tão fácil de manipular quanto o irmão e isso terá drásticas consequências.

FOXCATCHER

Bennet Miller tem predileção por cinebiografias, tendo em vista que seus trabalhos anteriores foram Capote com o estimado e falecido Phillip Seymour Hoffman e Moneyball – O Homem Que Mudou o Jogo com Brad Pitt. Seguindo na linha de esportes, o diretor dessa vez optou por uma história mais obscura e pouco conhecida do grande público, porém, a forma como escolheu narrá-la ficou falha.

Miller colocou o peso inteiro da narração nas costas de seus atores, mas, não os guiou de forma clara durante a película. Há muitos momentos que podem ser considerados vazios e com entendimento dúbio. Quase que uma apresentação teatral onde ficava a cargo do espectador prestar mais atenção as expressões faciais e nas mínimas mudanças de comportamento, pois nesse caso, os diálogos não ajudavam.

Impossível negar que há um esforço nítido do trio de atores para serem nada menos do que excelentes, mas com um roteiro fraco, acaba por desequilibrar o filme. Carell está irreconhecível e por sair inteiramente de sua zona de conforto, que são as comédias, já mereceu todas as indicações que tem recebido. O mesmo pode ser dito para Tatum que conseguiu demonstrar uma outra faceta enquanto ator que quase não tivemos oportunidade de presenciar.

Todavia, Foxcatcher – A História Que Chocou o Mundo peca por esticar exageradamente uma história que faria muito mais sentido e teria um peso dramático bem maior se fosse contada de forma mais objetiva.