Share
“Sequestrando Stella” – Um desperdício de tempo

“Sequestrando Stella” – Um desperdício de tempo

Sequestrando Stella é a mais nova produção alemã a figurar no catálogo de estreias da Netflix. Contudo, assistir ao filme prova ser um desperdício de tempo enorme devido a imaturidade da obra.

Com poucos diálogos o longa dirigido por Thomas Sieben gira em torno de apenas três personagens. Stella a sequestrada, Tom e Vic os algozes. O espectador acompanha o planejamento minucioso de Tom e Vic até por fim capturarem Stella no meio da rua em plena luz do dia. Com um cômodo inteiramente preparado para a situação, os dois parecem estar com tudo em ordem. Preparam a garota como querem, tiram fotos e arquitetam o pedido de resgate. O plano que até então parecia ser muito simples e objetivo começa a embolar devido a conflitos entre os três.

Sequestrando Stella - Still

Vic é um ex-detento paranoico que precisa que Tom siga suas ordens sem pestanejar ou discutir. Tom é um rapaz inseguro que possui outros motivos para estar ali e duela entre o que quer fazer e o que é o correto. Enquanto isso, Stella flutua entre os dois apenas se aproveitando dos momentos para plantar intrigas ou tentar fugir do cativeiro.

A motivação dos personagens é falha e o que deveria ser utilizado como plot twist é apresentado ao espectador de qualquer maneira. Pior do que isso, essa informação que poderia levantar o filme e é justamente o que o derruba. Ainda mais se levarmos em consideração que por se tratar de locação única, o foco maior deveria ser nos personagens. O que iria ajudar a criar essa atmosfera densa, de incertezas e mentiras. Mas não é o que ocorre.

O que é uma pena pois Sequestrando Stella tinha uma premissa inteligente, todavia, devido a imaturidade da produção, acaba não sendo bem desenvolvida. O final é arrastado, desastroso e sem sentido.

FICHA TÉCNICA
Diretor: Thomas Sieben
Roteiro: J Blakeson, Thomas Sieben
Elenco:  Jella Haase, Clemens Shick, Max von der Groeben
Duração: 1h29min