Share
“Step Sisters” tenta levantar debate com trama frágil

“Step Sisters” tenta levantar debate com trama frágil

Que os filmes sobre grupos de dança e superação esportiva são um sucesso, ninguém duvida. Essa fórmula levou nomes como Flashdance (1983), Footloose (1984) e o mais recente Se Ela Dança Eu Danço (2006) – que rendeu mais 5 filmes à franquia – a se tornarem uma verdadeira febre.

Em Step Sisters, filme que está disponível na Netflix, as batalhas de coreografia são pano de fundo para tentar levantar uma questão muito polêmica: o racismo na sociedade americana.

A história acompanha duas repúblicas de estudantes – uma apenas de pessoas negras e outra apenas de pessoas brancas. Quando o grupo de meninas caucasianas passa por um vexame que coloca a república delas em xeque, elas precisam de ajuda para reerguer a moral e a força do grupo. Interessada em conseguir uma carta de indicação para começar a estudar em Harvard, Jamilah (Megalyn Echikunwoke) aceita dar aulas de Step Dance para as meninas brancas dessa república.

Isso é visto como uma afronta e um grande problema por quase todos os negros do filme. E aí existe uma tentativa de levantar – e desmerecer – o discurso sobre apropriação cultural.

O filme é divertido. Soa como uma boa “Sessão da Tarde” e serve para passar o tempo. Mas qualquer consideração mais profunda do que isso seria desperdício de tempo com uma história fraca e cheia de falhas. A começar pela protagonista, que interpreta uma jovem em idade estudantil, mas que não convence como uma – não pela atuação, mas por questões físicas mesmo. Depois disso existem os claros clichês. A loira burra, a branca que passa por dificuldades tão intensas quanto a de negros, um relacionamento amoroso fraco e um novo flerte insonso e etc. Tudo isso misturado em uma trama de 1h40, que depois do final você esquece quase que imediatamente.

A questão racial é muito presente no filme, mas não parece ter profundidade alguma. Comédia sobre racismo é sempre difícil quando boa parte dos atores é branco, e é justamente isso que acontece em Step Sisters. As piadas não convencem e parece um apelo desesperado da comunidade branca em provar que são pessoas do bem. Bem no estilo “White People Problem” mesmo. E é isso que Step Sisters é no final das contas.

O filme tenta levantar bandeiras e debates, mas se for levado muito a sério pode prestar um grande desserviço às lutas negras, dando a impressão de que a rivalidade feminina é o que impulsiona o movimento, quando nós sabemos que o buraco é bem mais embaixo.

Ficha Técnica
Diretor: Charles Stone III
Roteiro: Chuck Hayward 
Elenco: Megalyn Echikunwoke, Eden Sher, Lyndon Smith, Gage Golightly, Alessandra Torresani, Nia Jervier, Marque Richardson, Naturi Naughton, Matt McGorry, Sheryl Lee Ralph, L. Warren Young, Robert Curtir Brown
Duração: 1h48min