Share
Stephen King e os mistérios de “Castle Rock”

Stephen King e os mistérios de “Castle Rock”

Stephen King é o autor favorito de cada 8 entre 10 leitores de terror. Conceituado dentro do gênero, seu nome é referência e atrai leitores e espectadores cada vez que atrelado a uma obra. Logo, a nova série em parceria com J.J. Abrams para o serviço Hulu não poderia ser diferente.

Castle Rock bebe direto da fonte de outros clássicos do autor e os fãs vão vibrar a cada referência que começa na prisão de Shawshank. É, a mesma de Um Sonho de Liberdade. Esse é o ponto de partida da trama que envolve muito mistério e personagens icônicos interpretando outros papéis.

Durante a inspeção em uma ala desativada um homem é encontrado preso dentro de um antigo reservatório de água. Sua única ligação com o mundo exterior é com o ex-diretor (Terry O’Quinn) que surpresa, acabou de cometer suicídio. Tornando-se assim o quarto na longa lista de diretores de Shawshank que tiraram a própria vida. O rapaz então pede por Henry Matthew Deaver um advogado criminal que é bastante conhecido em Castle Rock, mas por razões infames. Deaver retorna para a sua cidade natal e com ele outros problemas do passado ressurgem.

A série está situada dentro do universo dos clássicos do autor, portanto preste atenção em todas as referências. Em especial nas imagens de abertura que aponta títulos como A Espera de um Milagre, O Iluminado e It – A Coisa. Sem esquecer de certas aparições como a de Sissy Spacek que foi a primeira Carrie.

Essas referências são o prato principal em uma produção que ainda não definiu bem a sua trama. Temos dois grandes mistérios que envolvem os personagens de André Holland e Bill Skarsgard. E ambos trazem algumas ramificações que se conectam a outros personagens.

Henry ficou desaparecido quando criança por 11 dias e não se recorda bem o que aconteceu e nem onde estava. Quando retornou, seu pai que era um reverendo famoso na cidade estava morto e muitos o culpam por isso. Já o personagem de Skarsgard parece sequer existir. Ninguém sabe seu nome, de onde veio, ele quase não fala e há toda uma aura sinistra o envolvendo e a todos que se aproximam dele. Bem o estilo do aclamado mestre do terror. O elenco é pequeno e a participação de J.J. Abrams ajuda a contribuir para a construção certa do clima que uma produção dessas requer.

Castle Rock merece atenção em especial por suas inúmeras referências aos grandes clássicos do Stephen King e estão quase todos lá. Pode-se dizer que é uma ode a eles.

A série vai ao ar toda segunda-feira no serviço de streaming Hulu.