Share
“Titans” é uma série adulta de super-heróis

“Titans” é uma série adulta de super-heróis

Quando a DC Comics anunciou o lançamento de sua plataforma de serviços de streaming, garantiu que se trataria de uma experiência única para os aficionados em quadrinhos. E como carro chefe dessa plataforma seria desenvolvida a primeira série em live-action sobre seu time de jovens heróis, os Titans.

O INÍCIO

Criada nos anos 60 pelo quadrinista Bob Haney (1926-2004) em parceria com ilustrador Bruno Premiani (1907-1984), a equipe foi a maneira que a editora encontrou para atrair a atenção de um público mais jovem. Assim, foi estabelecido que versões mirins de heróis já consagrados, iriam se reunir nos mesmos moldes da Liga da Justiça. Sua formação original contava com trio de sidekicks de Batman, Flash e Aquaman. Robin, Aqualad e Kid Flash, respectivamente. Logo depois, o grupo receberia o acréscimo de mais dois integrantes. Sendo eles os parceiros mirins de Mulher-Maravilha e Arqueiro Verde. Com Moça-Maravilha e Speedy – ou Ricardito como ficou conhecido no Brasil -a aposta da editora terminou superando as expectativas.

Com o passar das décadas o time contou com os mais diversos tipos de formações. Ganhou até ares mais adultos e muita das vezes esteve no mesmo patamar da Liga da Justiça. Todavia, foi com as animações do Cartoon Network, que conhecemos sua formação mais popular: Com Robin, Ravena, Mutano, Estelar e Cyborg. Com exceção do último, este é o time de heróis que a série apresenta.

NOVA SÉRIE

Antes mesmo da estreia uma segunda temporada já havia sido confirmada. E com a divulgação de que a censura seria para maiores de 18 anos, muitos fãs se animaram com a possibilidade de um projeto diferenciado das obras exibidas pelo canal CW.

Esqueça o arrowverse! O universo compartilhado estabelecido na TV para séries da DC Comics, simplesmente não funcionaria na abordagem utilizada em Titans. Só a atmosfera imposta nos minutos iniciais do episódio piloto, já é o suficiente para diferenciá-la das ensolaradas The Flash e Supergirl. E até mesmo de Arrow, que apresenta a retratação mais urbana deste universo. Com algo mais parecido com o que a Netflix apresentou em Demolidor, a primeira temporada de Titans se estabelece por conta própria e expande o universo DC de uma maneira sem precedentes.

PRIMEIRA TEMPORADA

A série se inicia com a jovem Rachel Roth (Teagan Croft), possuída por uma estranha escuridão que parece estar fora de controle. E sob o domínio do medo de ser drenada completamente por essa força, a menina vive com sua mãe em sua própria versão do clássico Carrie a Estranha.

Não demora muito até ela perceber que está lidando com algo muito maior do que imaginava. Logo, o desenrolar de uma verdadeira conspiração que parece diretamente atrelado a Rachel, vem à tona. E quando se vê sozinha no mundo, a garota sai em busca de ajuda e é a partir de seu encontro com o jovem detetive Richard Grayson (Brenton Thwaites), que a trama começa a ganhar forma.

PERSONAGENS

Dick ainda lida com reflexos da longeva parceria que manteve com Bruce Wayne. Juntos formavam a icônica e temida dupla dinâmica, responsável por proteger as ruas de Gotham City. Sob o viés de seus alter-egos Batman e Robin e com o desenfreado banho de sangue nas ruas da cidade. A postura de Bruce, muita das vezes extremista, moldaram Grayson. Diante disso o distanciamento entre Dick e seu mentor revelou-se inevitável. O roteiro nos entrega um jovem cheio de conflitos internos, que muito embora ainda vista seu traje de Robin, sente que não pertence mais àquela vida. O que temos é alguém que se encontra no meio do caminho entre o que achou que era e tudo aquilo que realmente pode ser. Aqui devemos dar créditos a Thwaites, por conseguir transitar brilhantemente entre todas essas nuances.

A jornada de Dick e Rachel, os leva a esbarrar com velhos conhecidos como é caso da dupla Hank Hall (Alan Ritchson) e Dawn Granger (Minka Kelly). Os vigilantes Rapina e Columba, com quem Dick já havia trabalhado nas ruas e tinha alguns assuntos pendentes. Ainda assim, eles se mostram a melhor opção para ajudar na proteção da garota. Mesmo com a dinâmica do trio abalada pelos reflexos de um triângulo amoroso mal resolvido.

AMIGOS DE LONGA DATA

Outra figura do passado a quem Dick também recorre é Donna Troy (Conor Leslie). Amigos de infância, o treinamento e a relação com os mentores que os dois tiveram, se mostra contrastante. Enquanto Donna crescia sob o viés e os preceitos das amazonas, Dick foi treinado para sobreviver. Tal contraste se mostra interessante, pois são graças aos ensinamentos da garota que Grayson parece enfim vislumbrar indícios de um futuro longe da sombra de seu mentor.

O roteiro consegue manter a essência de uma das amizades mais bonitas do universo DC Comics e a química entre seus intérpretes é um atrativo à parte. A introdução de Donna nos oferece também a possibilidade de nos inteirarmos um pouco mais no universo das amazonas. Até seu laço da persuasão faz uma aparição, o que levanta possibilidades interessantes para o futuro da série. E Conor Leslie nos entrega uma Donna tão carismática quanto a Diana Prince de Gal Gadot.

ESTELAR E MUTANO

Já em relação aos novos rostos que se juntam a Dick e Rachel, temos uma desmemoriada e fatal Kory Anders (Anna Diop). Uma combinação que pode ser letal dadas a proporções de seus poderes. Kory parece ter interesse em Rachel ainda que não saiba o porquê, isso norteia suas ações e a impulsiona, pois a princípio ela acredita que com a garota enfim encontrará as respostas que procura. E Diop, intérprete de Kory, teve que lidar com uma enxurrada de críticas desde sua entrada no elenco. Muitas delas de cunho racista, inclusive. Dada a forte idealização da versão animada de sua personagem, nos entrega uma Estelar tão incrível quanto a versão idealizada por George Pérez.

Também somos apresentados ao jovem Garfield Logan (Ryan Potter), ainda sem domínio total de seus poderes, o garoto consegue realizar apenas uma única transformação. Mas nem por isso rende menos momentos engraçados. Gar é apresentado como um possível alívio cômico, porém este fator não destoa do tom do restante da produção. Conhecemos a origem de seus poderes e seu antigo time a Patrulha do destino. A dinâmica entre Gar e Rachel também funciona bem, com o garoto servindo de válvula de escape e trazendo mais normalidade dentro do possível para vida dela.

UMA EQUIPE

A união entre os integrantes em prol da conspiração envolta de Rachel, ocorre de maneira orgânica. Com questões, desconfianças e aprendizados pertinentes a um grupo com figuras tão diferentes e ainda assim com tanto em comum, aprendendo a trabalhar como uma equipe. A série ainda nos mostra vislumbres de como andaria a vida de Bruce sem Dick e a aparição do novo Robin, Jason Todd (Curran Walters), que representa a personificação do que foi deixado para trás. Rendendo até um confronto ideológico entre os dois Robins.

Em resumo Titans trata-se de uma série visceral que mergulha na mitologia desses personagens. E mesmo sendo predominantemente fiel aos quadrinhos, não tem medo de ousar indicando não querer uma representação 100% exata em seu produto original. Outro mérito importante é a introdução de personagens que normalmente não teriam espaço nessas produções. Conta também com uma trama bem amarrada que se desenrola no ritmo certo. Em que é possível se envolver com a história do personagem convidado da semana, sem se desviar da principal e isso mostra a competência do roteiro.

E seu final ainda guarda surpresas e lança perguntas intrigantes para a segunda temporada. Titans é sem dúvidas a série de super-heróis adulta, que os fãs de quadrinhos da DC Comics precisavam. Exibida originalmente nos Estados Unidos pelo DC Universe. A série chegou ao Brasil através da Netflix, integrando seu catálogo desde o último 11 de janeiro.

Ficha Técnica
Criador: 
Roteiro: Marisha Mukerjee, Richard Hatem, Bryan Edward Hill, Gabrielle G. Stanton, Greg Walker, Steve Ditko, Bill Finger, Barbara Randall Kesel, Karl Kesel, Rob Liefeld, George Pérez, Steve Skeates, Jeffrey David Thomas, Marv Wolfman
Elenco: Brenton Thwaites, Teagan Croft, Anna Diop, Ryan Potter, Alan Ritchson, Minka Kelly,Curran Walters, Conor Leslie, Tomaso Sanelli, Reed Birney, Rachel Nichols, Melody Johnson, Jeni Ross, Logan Thompson,Lindsey Gort, Meagen Fay, Liza Colón-Zayas, Rachel Catador, Seamus Dever, Torquil Colbo, Adam Bogen, Jeff Clarke, Jill Frappier, Premika Leo, Steve Boyle, Elliot Knight, Marina Sirtis,  Tait Blum, April Bowlby, Jayden Marine, Bruno Bichir, Trevor Hayes, Jarreth J. Merz, Lester Speight, Damian Walshe-Howling, Sherilyn Fenn, Hina Abdullah, Kyle Mac, Cara Ricketts, Jeff Roop, Martin Roach, Andi Hubick, Jake Michaels, Imali Perera, Jeremy Crawford, Rosemary Doyle, James Hawksley, Philip Jarrett, Dwain Murphy, James Scallion, Matt Bomer, Kenny Wong, Jayden Greig, Randolf Hobbs, Allen Keng, Tony Nappo, Zach Smadu, Andrés Yates, April Brown Chodowski, Janet Porter, Richard Zeppieri
Duração: 11 episódios