Share
“Um Lindo Dia na Vizinhança” é comovente

“Um Lindo Dia na Vizinhança” é comovente

Um Lindo Dia na Vizinhança é um filme biográfico um pouco diferente. Fred Rogers ou Mister Rogers não é o protagonista. Apesar de ser a razão por trás da história do longa, o personagem principal é um jornalista. Aqui, Rogers é o meio que justifica os atos. De fato, tal representação acaba por dizer bastante sobre esse amado apresentador de televisão.

Lloyd Vogel é um renomado jornalista da revista Esquire que após inúmeras reportagens densas recebe uma tarefa inusitada: escrever um perfil sobre Mister Rogers. Diferente de muitos adultos, não cresceu assistindo ao programa e desconhece o apelo que o apresentador tem perante o público. Na verdade, Vogel espera poder desmascarar Rogers e assim, escrever algo mais substancial do que um simples perfil. Só não esperava que uma entrevista fosse mudar a sua própria vida.

Um Lindo Dia na Vizinhança

Um Lindo Dia na Vizinhança faz algo único dentro do gênero da cinebiografia: coloca a pessoa retratada em segundo plano. O que poderia muito bem dar errado em tantos outros títulos do gênero, desta vez funciona com esmero, pois estamos lidando com uma figura que fez muito pelos outros. Fred Rogers esteve por pouco mais de 30 anos à frente de um programa infantil numa emissora pública. Ao todo colocou no ar mais de 800 programas que abordavam assuntos considerados tabus para a época como racismo, divórcio, morte, deficiências, etc. Tudo isso utilizando uma linguagem de fácil compreensão para as crianças que incluía até fantoches.

Enquanto lida com problemas em sua vida pessoal, Lloyd tenta arrancar algo desse homem que é bom demais para ser verdade. Porém, tudo o que ele consegue é descobrir porque Mister Rogers é tão querido por todos.

Um Lindo Dia na Vizinhança

O filme se desenvolve como se fosse um dos episódios do programa de Mister Rogers. Com direito as maquetes, cenários e réplicas de fantoches. Aliás, Um Lindo Dia na Vizinhança, foi filmado dentro do mesmo estúdio o qual Mister Rogers gravou seus programas, em Pittsburgh. Por conta disso, a atmosfera saudosista, contribui bastante para transportar o espectador brasileiro para dentro desse universo desconhecido por nós. Pois assim, é possível criar uma conexão tanto com os personagens quanto com a trama ali relatada.

E a escolha de Tom Hanks para o papel de Mister Rogers foi bem acertada. Ainda que fisicamente os dois não se pareçam, é nítido que Hanks estudou os maneirismos e jeito de falar do apresentador a fim de interpretá-lo da melhor forma possível. Outro ponto de destaque é a preocupação em humanizar uma figura pública que muitos viam como santo. É aqui que a troca com o personagem de Matthew Rhys ajuda a validar a natureza benéfica de Fred Rogers. Afinal, como o próprio diria, ele é uma pessoa como qualquer outra, passível de erros e defeitos. A única diferença é que ele aprendeu a lidar melhor com suas angústias.

Um Lindo Dia na Vizinhança

Um Lindo Dia na Vizinhança é um filme que comove mesmo para aqueles que desconhecem a importância da figura de Mister Rogers para a televisão americana. Os temas retratados, a questão do perdão, saber entender os nossos sentimentos e acima de tudo, saber entender os sentimentos do próximo, são assuntos que conversam com todos nós. A diferença é que Fred Rogers sabia lidar com isso como ninguém.

FICHA TÉCNICA
Direção: Marielle Heller 
Roteiro: Micah Fitzerman-Blue, Noah Hapster 
Elenco: Tom Hanks, Matthew Rhys, Chris Cooper, Susan Kelechi Watson, Maryann Plunkett, Enrico Colantoni, Wendy Makkena, Tammy Blanchard, Carmen Cusack, Kelley Davis, Christine Lahti, Maddie Corman, Daniel Krell, Jon L. Peacock 
Duração: 1h49min 
Estreia oficial: 23 de janeiro 2020