Share
“WiFi Ralph: Quebrando a Internet” tem seus momentos

“WiFi Ralph: Quebrando a Internet” tem seus momentos

Quando Detona Ralph estreou em 2012 trouxe às telas uma divertida e cativante animação sobre games retros e o poder da amizade. Os dois personagens principais, Ralph e Vanellope, não poderiam ser mais diferentes. E iguais ao mesmo tempo. Ambos buscavam aceitação em meio a um mundo fadado a colocá-los à margem. Juntos conseguem provar que não há nada de ruim em ser quem são e ainda salvam o mundo dos arcades. Mas e se isso não for o suficiente para um deles?

WiFi Ralph: Quebrando a Internet volta com os mesmos personagens, outros tantos extras e de quebra traz o advento da internet. Dentro desse vasto mundo Ralph e Vanellope tem como nova missão encontrar um volante para repor no arcade de Sugar Rush. Só que ao experimentar a internet, a amizade dos dois vai sofrer mudanças.

Em meio a uma enxurrada de referências, seja de filmes, séries ou demais cultura pop, existe também uma forte crítica social. Quando Ralph precisa de dinheiro para comprar o volante, o meio mais rápido para isso é publicar vídeos virais. O que leva os personagens a conhecer Yesss. Ela é uma espécie de algoritmo e sabe o que devem fazer para alcançar o sucesso. Uma clara alusão ao mundo do Youtube e aqueles que procuram fama instantânea e nada duradoura. Ralph se submete as tarefas mais esdrúxulas apenas para ganhar corações que seriam os likes do mundo real. E elas vão desde imitar cabras, a comer pimentas ou fazer unboxing de brinquedos ou outros itens.

Vanellope, por outro lado, acaba encontrando algo mais profundo na vasta internet: um propósito. Aqui WiFi Ralph: Quebrando a Internet decide explorar o lado mais sentimental da amizade ao mesmo tempo que faz o público rir ou suspirar com a aparição de todas as princesas Disney, por exemplo. Essa cena, por menor que seja, é uma das mais interessantes na animação. Afinal, quem não gostaria de ver esse crossover acontecer? Todas as princesas reunidas e fora do elemento os quais estamos acostumados a vê-las? Acaba sendo o que esperávamos e é uma pena ser tão curto.

Infelizmente, diferente de Detona Ralph que apresentava algo novo, a sequência acaba caindo em momentos clichês, o que o iguala as demais animações do estúdio, mas não de uma forma positiva. Vanellope e Ralph se transformam em mais do mesmo e perdem um pouco da sua identidade. Ele se transforma num vilão (o que ele é tecnicamente), enquanto ela vira a mocinha que precisa ser salva. Tudo o que de um jeito ou outro eles fazem piada sobre.

Outro ponto que pode ser considerado fraco é a não utilização de personagens conhecidos. Calhoun e Felix, por exemplo, tinham um arco interessante e que poderia ser melhor trabalhado, mas não vemos o que acontece. Quando retornam em cena, já teve um desdobramento. A inserção de tantos novos personagens acabou por tirar o foco de outros que já haviam ganhado a simpatia do espectador.

No final, dentro da internet, usufruindo de tantos elementos conhecidos, a mensagem de WiFi Ralph: Quebrando a Internet é mais profunda do que parece e talvez as crianças não consigam assimilar por inteira. Porém, vão se divertir com o restante.

P.S: Existe uma cena pós-crédito que vai surpreender.
Ficha Técnica
Diretor: Phil Johnston, Rich Moore 
Roteiro: Phil Johnston, Pamela Ribon
Elenco: John C. Reilly, Sarah Silverman, Gal Gadot, Taraji P. Henson, Jack McBrayer, Jane Lynch, Alan Tudyk, Alfred Molina, Ed O'Neill, Sean Giambrone, Flula Borg, Timothy Simons, Ali Wong, Hamish Blake, GloZell Green
Duração: 1h52min 
Estreia: 03 de janeiro