Share
“X-Men: Fênix Negra” que não renasceu das cinzas

“X-Men: Fênix Negra” que não renasceu das cinzas

Esse é o quarto filme dos X-Men desde que o universo foi reiniciado com Primeira Classe. E que, infelizmente, vem cada vez apresentando um título pior que o outro. Em X-Men: Dias de Um Futuro Esquecido, eles unem os filmes antigos com os novos. Colocam todos eles em uma mesma cronologia, usando Wolverine para voltar no tempo, reescrever o passado e liberar os próximos filmes de qualquer continuidade que pudesse existir. Em X-Men: Apocalipse vemos a formação da nova equipe. Aparecem os jovens Scott Summers o Ciclope, Jean Grey, Ororo Munroe a Tempestade, Kurt Wagner o Noturno, Hank McCoy o Fera, Peter Maximoff o Mercúrio e eles são liderados pela Raven a Mística, a equipe que começa em X-Men: Fênix Negra.

Um dos principais problemas do filme e a falta de conexão com a nova equipe. Mesmo tendo sido apresentados em Apocalipse a gente não se importa com nenhum deles. Todos os filmes mantiveram a história focada em outros personagens. Os protagonistas dos quatro longas se mantiveram os mesmos, que são Xavier, Raven, Magneto e Fera. Os outros apenas participaram, sem qualquer desenvolvimento para o Ciclope, Jean Grey e até mesmo Tempestade.

Mais uma vez, X-Men: Fênix Negra não desenvolve a história. Procura manter o foco nos personagens antigos, e apresenta vilões genéricos para criar o conflito com a Jean Grey. E a destruição que ela causa não chega nem perto de poder ser considerada uma grande ameaça. O que resulta no presidente, que estava apoiando os X-Men, simplesmente colocá-los como inimigos novamente. Tal virada não faz qualquer sentido pois, nos outros filmes houve muito mais destruição e ameaças. Aqui, bastou um incidente envolvendo duas viaturas da polícia para que o Presidente mudasse de ideia. Isso porque a solução era simples: pegar o telefone e ligar para Xavier. Mas ele preferiu não fazer isso. Ato falho e uma confiança jogada fora.

Os efeitos estão legais. Há uma tentativa de encerrar X-Men: Fênix Negra ao conectá-lo com os antigos. Porém, falha em tudo que tenta fazer em relação historia. São personagens conhecidos que não nos importamos. Vilões risíveis, que não possuem desenvolvimento. O retorno de personagens que não acrescentam em nada para a história. No fim, acaba sendo um filme que tenta ganhar em cima de algo que foi bom no passado. Todavia, só vem trazendo um fracasso atrás do outro.

Assim como em X-Men: O Confronto Final, a saga da Fênix não é bem apresentada ao público. O caminho dela para se tornar uma força de destruição não acontece como deveria. Em nenhum momento Jean Grey consegue se tornar a ameaça real para o mundo, em especial quando mal foi uma ameaça para os próprios X-Men.

X-Men: Fênix Negra é o último que acompanha a equipe de mutantes. Desde o primeiro X-Men vimos os filmes de quadrinhos aumentarem e evoluírem para algo mais próximo do material original. Ironicamente, esse universo tão apreciado nos quadrinhos, foi o único que pareceu não evoluir e manteve a mesma visão do primeiro lançado em 2000. Com a recente compra da FOX pela Disney, espera-se que tudo seja reiniciado em algum momento.

Por se tratar do começo da era de filmes de quadrinhos, esse universo dos X-Men vai deixar saudades. Uma pena que os filmes recentes só nós fizeram desejar o fim. Ainda tem Os Novos Mutantes para sair. Mas, ele traz outros personagens, não tão conhecidos, nem sabemos quando vai ser lançado. X-Men: Fênix Negra encerra essa jornada de 19 anos.  Agora é esperar para ver o que a Disney vai fazer com os personagens.

FICHA TÉCNICA
Diretor: Simon Kinberg
Roteiro: Simon Kinberg 
Elenco: James McAvoy, Michael Fassbender, Jennifer Lawrence, Nicholas Hoult, Sophie Turner, Tye Sheridan, Alexandra Shipp, Evan Peters, Kodi Smit-McPhee, Jessica Chastain, Scott Shepherd, Ato Essandoh, Brian d'Arcy James, Halston Sage, Lamar Johnson
Duração: 1h53min 
Estreia: 06 de junho