Coletiva de “O Exterminador do Futuro: Gênesis” contou com a simpatia do convidado

O ator austríaco Arnold Schwarzenegger já foi outrora um campeão de fisioculturismo. Hoje aos 67 anos ele ainda conserva o corpanzil que o consagrou para a carreira quando estreou no filme Conan O Bárbaro de 1981 e carrega algo ainda maior que o seu físico: a simpatia.

Apesar do atraso de pouco mais de 40 minutos, o ator apareceu diante dos fotógrafos que o aguardavam ansiosamente esboçando um sorriso sincero e cumprimento a todos. Logo depois os jornalistas foram levados para outro salão na qual acontecia a coletiva de imprensa. Nela Arnold foi ainda mais simpático e bastante prolíxico, mas, se não fosse isso, certamente a coletiva não teria rendido tanto, pois o teor das perguntas era lamentável.

Felizmente, o ator soube elaborar de maneira ágil e inteligente suas respostas contribuindo até muito mais com o que havia sido perguntado.

Ele falou sobre a escolha de uma nova atriz para viver a Sarah Connor e que ficou bastante satisfeito em atuar com a Emilia Clarke, pois ela é famosa por Game of Thrones, além de ser muito bonita pessoalmente e conseguir exprimir uma nova personagem, diferente da que foi interpretada pela Linda Hamilton e que não tem nem como comparar.

*clique duas vezes nas imagens para abri-las em tamanho real*

[Best_Wordpress_Gallery id=”4″ gal_title=”TERMINATOR COLETIVA”]

Afirmou também estar feliz com a volta ao papel e que graças aos novos recursos de efeitos especiais, puderam dar outra profundidade a trama e contá-la de modo que ficasse mais interessante aos olhos desse público que é diferente daquele que foi aos cinemas lá em 1984, quando o primeiro filme foi lançado. Continuando no assunto personagem, Arnold disse que o importante sempre será a franquia e citou exemplos como do Batman que teve outros filmes com atores diferentes no papel principal. Quanto a reviver o papel contou que acabou se acostumando a interpretar uma máquina e até a se condicionar a não piscar durante as explosões ou grandes flashes de luz em seu rosto. Afinal, uma máquina não pode ter sentimentos como medo ou surpresa, isso ele deixa para a Sarah Connor que é humana.

Ao ser questionado sobre voltar ao passado, se pudesse, ele foi categórico e disse que não tem do que se queixar. Que pode se orgulhar da carreira que construiu e que está muito feliz com ela.

O ator ainda falou sobre o novo filme com Danny Devitto que será continuação de Gêmeos, aquela comédia dos anos 80 e que dessa vez irá conta com um terceiro irmão, ninguém menos que Eddie Murphy. Aliás, a conversa sobre o filme ocorreu na própria casa do ator que Arnold disse ter sido a primeira escolha de ambos para o papel. Ele tem a idade certa e trará o teor de humor que pretendem colocar no filme, ainda sem previsão de lançamento. Falando sobre Conan, afirmou em tom de brincadeira que não tem mais idade para repetir esse papel e contou um pouco como foi sua escalação, quando implicaram com o sotaque dele, arrancando risos dos presentes na coletiva.

Em uma última pergunta relacionada a política do Brasil, Arnold foi bastante polido e confessou todo seu amor pela cidade do Rio de Janeiro a qual visitou outras vezes e justamente por isso decidiu trazer para cá seu evento chamado Arnold Classic, o qual afirma ser um verdadeiro sucesso na cidade. Voltando para a política, ressaltou que talvez não mudasse tanta coisa, mas que terminaria a briga entre partidos e faria melhorias para o povo.

No término da coletiva de imprensa ganhou salva de palmas e a certeza de que continuaria voltando para promover outros filmes. Estamos te aguardando Arnold, tenha certeza!

Melissa Andrade

Jornalista, Crítica de Cinema há mais de 10 anos, Podcaster, extremamente curiosa, com incontáveis pequenos conhecimentos em diversas áreas e Marvete com orgulho!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *