O fanservice em “The Mandalorian” bagunça a segunda temporada

Em uma galáxia não muito distante existem aqueles que não são tão fãs da saga de Star Wars. Aqueles que não se interessam pela novela da família Skywalker com os Sith ou a eterna briga Nova República e Império. Eles apenas curtem o universo e apreciam acompanhar histórias paralelas situadas no mesmo, como acontece em The Mandalorian. A série, criada e conduzida pela dupla Filoni e Favreau, fez um tremendo sucesso em sua primeira temporada, mas devido ao aumento do fanservice nessa temporada, as coisas ficaram bagunçadas.

Veja bem, fanservice nunca é um problema quando dosado, o que não é o caso aqui, pois, a quantidade aumenta a cada episódio. De repente, a missão de levar a criança para um lugar seguro se espalhou pela galáxia e era preciso vários pares de mãos para ajudar. Mas, óbvio, que não qualquer par e sim os que vinham acompanhados de rostos conhecidos e populares dentro da franquia. Tais escolhas acabaram por bagunçar o enredo no final da temporada em The Mandalorian. Uma profusão de personagens de outras mídias surgiram, cada qual com o seu passado e história pessoal e a temporada foi deixando a sua originalidade de lado para agarrar de vez o fanservice. Escolha equivocada e que afasta aqueles que não tem interesse em consumir outras mídias da franquia.

The Mandalorian (season 2)

Afinal, é uma enorme falha de roteiro querer obrigar, mesmo que indiretamente, o espectador a consumir outro tipo de mídia – nesse caso as animações – com o único propósito dele entender parte da história ou um personagem, salvo quando estamos lidando com sequências diretas. E sinto ser essa a nova jogada dos criadores em The Mandalorian. Eles querem suprir os desejos dos fãs, o que a meu ver é um esforço desnecessário, pois eles nunca estão ou vão ficar satisfeitos. Com isso, ao tentar agradar os mais exigentes, afastam aqueles que desde o início já tinham embarcado nas aventuras do Mando sem cobranças ou demandas.

Por outro lado, a segunda temporada tem boas cenas de ação, é divertida, os atores convidados cumprem bem seus papéis e a direção alternada fez com que o enredo ganhasse dinamismo e continuasse redondinho. Vale mencionar a oportunidade de vermos pessoas novatas como a atriz Bryce Dallas Howards à frente de um dos episódios com algumas das melhores cenas de ação. Diria que até o episódio 6, The Tragedy com direção de Robert Rodriguez, The Mandalorian estava indo muito bem. No entanto, os dois últimos episódios, em especial o que fecha a temporada, cai justamente naquele problema doe fanservice que mencionei acima.

The Mandalorian (season 2)

A melhor coisa continua sendo a dupla Din Djarin e a criança, que agora sabemos se chamar Grogu. Só que depois do último episódio, aquele que teve o maior e mais absurdo fanservice de todos, parece que essa parceria chegou ao fim… por enquanto.

Deixo aqui meus votos para que na terceira temporada The Mandalorian retorne às suas raízes de produto original do universo Star Wars e não se prenda tanto à essa necessidade de querer agradar os fãs hardcore da franquia. Foca no protagonista, no Grogu e no Moff Gideon e segue em frente.

FICHA TÉCNICA
Criador: Jon Favreau 
Roteiro: Jon Favreau, Rick Famuyiwa, Dave Filoni 
Elenco: Pedro Pascal, Carl Weathers, Giancarlo Esposito, Gina Carano, Amy Sedaris, Ming-na Wen, Temuera Morrison, Misty Rosas, Mercedes Varnado, Katee Sackhoff, Omid Abtani 
Duração: 8 episódios

Melissa Andrade

Jornalista, Crítica de Cinema há mais de 10 anos, Podcaster, extremamente curiosa, com incontáveis pequenos conhecimentos em diversas áreas e Marvete com orgulho!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *